Arquivo da Categoria: Poesia

Poema “Prece Espiritual” por António de Cértima (1894 – 1983)

Prece Espiritual   Ardendo em dôr, em ambição constante, Em vivo em ânsias…febre de incerteza… Toca-me a fronte um êxtase olorante. Que me espiritualiza em Sonho e Reza.   Minh’alma é uma chama deslumbrante, – Chama ideal continuamente acesa. E … Continuar a ler

Publicado em Cultura, Espiritualidade, Poesia, Raizes | Etiquetas , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Texto de Confissões de St. Agostinho: «Tarde Te amei…»

  Texto de Confissões de St. Agostinho “1. Tarde Te amei, ó Beleza tão antiga e tão nova… Tarde Te amei! Trinta anos estive longe de Deus. Mas, durante esse tempo, algo se movia dentro do meu coração… Eu era … Continuar a ler

Publicado em Confissões, Cultura, Espiritualidade, Livros, Poesia | Etiquetas , , , , | Publicar um comentário

O PODER DA ORAÇÃO – poema de Adélia Prado

O PODER DA ORAÇÃO – poema de Adélia Prado Em certas manhãs desrezo: a vida humana é muito miserável. Um pequeno desencaixe nos ossinhos faz minha espinha doer. Sinto necessidade de bradar a Deus. Ele está escondido, mas responde curto: … Continuar a ler

Publicado em Cultura, Espiritualidade, Livros, Poesia | Etiquetas , , , , , | Publicar um comentário

EXPLICAÇÃO DA CURA – poema de Daniel Faria

EXPLICAÇÃO DA CURA – poema de Daniel Faria   O precipício não tem futuro ou desalento Mas um carreiro que atravessa as giestas e o trevo Um carreiro que chega ao seu destino Como a lenha podada ao fogo A … Continuar a ler

Publicado em Cultura, Espiritualidade, Livros, Poesia | Etiquetas , , , , | Publicar um comentário

Quaresma o Dom das Cinzas – guião incompleto

Quaresma: acreditar no poder frágil. Iniciar e viver toda a quaresma com a simbologia das cinzas é uma ousadia sem comparação! Primeiro em razão de aceitarmos cumprir uma tarefa disposta em 40 dias (no concreto são 44 dias antes da Páscoa, … Continuar a ler

Publicado em por | Etiquetas , , , , , , | Publicar um comentário

Anuário em quatro faces finitas: arte de (des)programar.

Anuário em quatro faces finitas: arte de (des)programar.   “tempo para procurar / e tempo para perder, tempo para guardar / e tempo para atirar fora, tempo para rasgar / e tempo para coser, tempo para calar / e tempo … Continuar a ler

Publicado em por | Etiquetas , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Está Atento!

Está Atento!     Reflexões: Ano C –  I Domingo Advento: Cfr. Lc 21, e ss.     “Desde que nos deixaste o tempo nunca mais se transformou Não rodou mais para a festa não irrompeu Em labareda ou nuvem … Continuar a ler

Publicado em por | Etiquetas , , , , , , | Publicar um comentário