Arquivo de etiquetas: poesia

Poema “Prece Espiritual” por António de Cértima (1894 – 1983)

Prece Espiritual   Ardendo em dôr, em ambição constante, Em vivo em ânsias…febre de incerteza… Toca-me a fronte um êxtase olorante. Que me espiritualiza em Sonho e Reza.   Minh’alma é uma chama deslumbrante, – Chama ideal continuamente acesa. E … Continuar a ler

Publicado em Cultura, Espiritualidade, Poesia, Raizes | Etiquetas , , , , , , , , , | Publicar um comentário

O PODER DA ORAÇÃO – poema de Adélia Prado

O PODER DA ORAÇÃO – poema de Adélia Prado Em certas manhãs desrezo: a vida humana é muito miserável. Um pequeno desencaixe nos ossinhos faz minha espinha doer. Sinto necessidade de bradar a Deus. Ele está escondido, mas responde curto: … Continuar a ler

Publicado em Cultura, Espiritualidade, Livros, Poesia | Etiquetas , , , , , | Publicar um comentário

EXPLICAÇÃO DA CURA – poema de Daniel Faria

EXPLICAÇÃO DA CURA – poema de Daniel Faria   O precipício não tem futuro ou desalento Mas um carreiro que atravessa as giestas e o trevo Um carreiro que chega ao seu destino Como a lenha podada ao fogo A … Continuar a ler

Publicado em Cultura, Espiritualidade, Livros, Poesia | Etiquetas , , , , | Publicar um comentário

“É Natal Português” cantou os parabéns ao Papa Francisco”, na Gafanha da Encarnação (Ílhavo) – Por Cardoso Ferreira, in CV (21-12-16)..

“É Natal Português” cantou os parabéns ao Papa Francisco”, na Gafanha da Encarnação (Ílhavo) – Por Cardoso Ferreira, in Jornal “Correio do Vouga” (21-12-16). “Este ano, o final do espetáculo “É Natal Português”, promovido pelo grupo “Pedras Vivas” e que … Continuar a ler

Publicado em Cultura, Paróquia Gafanha da Encarnação - Informações Paroquiais | Etiquetas , , , , , | Publicar um comentário

121- Gonçalo M. Tavares

121–  Gonçalo M. Tavares(*)   A vida pressupõe dois pés, duas pernas, dois olhos, dois braços, a até o cérebro tem duas partes: a direita e a esquerda. Só o amor quando é forte não tem lado esquerdo e direito. … Continuar a ler

Publicado em Livros, Poesia | Etiquetas , , , | Publicar um comentário

Construo o meu casulo até as cisternas transbordarem – Poema Daniel Faria (2)

[Poema Daniel Faria – (2)] Construo o meu casulo até as cisternas transbordarem (Nem sempre o coração é um caudal Oculto). Construo, nem sempre construo (Nem sempre o coração irriga a morte) Desenhando no chão a altura das casas   … Continuar a ler

Publicado em Poesia | Etiquetas , | Publicar um comentário