Voar ou aterrar?

Voar ou aterrar?

 

“As lágrimas são de Deus e quem quer que as verta sem sonhar com Ele rouba-as a Ele”, Rosa de Lima (1586-1617), Padroeira da América Latina.

 

1. A viagem foi fantástica. Cansativa nas horas distendidas nos voos, com duração intercontinental, e já no último, da Gol, de S. Paulo para São Luís, encontrei-me a dormir acordado… Vale apena poupar em voos económicos? Sim, se for para dar. A parábola viva dos aeroportos (des)conhecidos: Amesterdão e Guarulhos. Vista aérea das cidades. Somente um caso: A emergência médica bem resolvida pela KLM: foi um compêndio de navegação aérea! Eu rezava o terço, sabendo que os santos óleos, infelizmente, estavam no porão do avião, na mala de mão!? Somente um não caso: partiram-se as rodas da mala que transportava os 40 livros. Certamente que a causa no número não pode ser bíblica!?

 

2. As solicitações feitas à Memória são excessivas. Impossível saber todos os nomes, todas as circunstâncias ou modos de estar. Celebrei a eucaristia, primeiro, na Matriz; depois, na Comunidade do Areal; posteriormente, na Boavista; “honra” da presidência da primeira noite, na novena de São Raimundo, no Bairro da Corrente. Chegou o dia de Sábado: «Hoje» é o «Dia do Bote Fé!». «Hoje» é o dia do esplendor e caos da Fé. Entretanto, na chegada súbita do Bispo D. José Valdeci a túnica voa do Pe. Neves: passou de presidente, para presidente superior. Esta informalidade desconcertante!? Na homilia articulada e incisiva, evangelicamente falando, do Pe. Luís Miranda: «crer, adorar, esperar e amar», no meu entender, da perversão à conversão, com impacto. O Povo estava no centro da Praça do Povo: a passagem a meta-realidade! As Cantoras de Deus, em número de três, trindade no feminino, irradiaram arte que os ouvintes dançantes souberam corresponder. De dentro da Tenda do Santíssimo: permanecia (in)quieto no meu canto cósmico!? «A Verdade encarnou a Dança da Fraternidade».

 

3. Domingo, foi vivido na anormalidade: levantar em vão, para a missa das 7h00, não celebrada; tomar o café, e deitar de novo. Primeira: Terras Duras, às 9h00; depois, S. António, às 10h00 – pelo meio o discurso do Ministro Lobão pai, no “meio” da rua, na voz impessoal: “Vocês são os verdadeiros líderes…”, ou seja, “eles” têm a chave e não permitem que outros partilhem o Bem Comum (malditos!?). Excelente o almoço partilhado, oferecido generosamente (apenas distribui mais umas fitinhas novas porque velhas: “Para Uma Família + Feliz + Amor”, das sobras, surgem novas sementes milagrosas). Segue-se a missa em S. José, das “mil casas”, na periferia, a 5 Km do centro (não precisei de mais dicas, pois o André ensinou-me o percurso). Pelas 15h30, o calor torna-se insuportável! A roupa interior não resistiu ao suor…no final, o banho foi mais que higiénico! Pela noite, às 20H00 (4ªmissa), a celebrar na Matriz: troca de “medalhas” mútuas: para visitar um Amigo era-capaz-de-ir-até-ao-fim-do-mundo! Visitar Chapadinha é realizar ambas! Durante a homilia – tenso interiormente – a personalização com o caso do atendimento no encerramento da conta bancária, no Banco do Brasil. «A Sinceridade não é tudo; é apenas o princípio de tudo». A Assembleia expressava-se plenamente bem-disposta. Merecidíssimo o elogio, particularmente, aos Jovens, pela realização pública do «3ºBote Fé». A cidade mexeu-se catolicamente falando!

 

4. O Mesmo e o Diferente: no fundo a Vida que é filtrada pelo Tempo. Sem mais o Tempo que cura tudo. Somos esmagados pelo nosso auto convencimento; “só” nos resta Servir e procurar fazê-lo com a devida urgência, na lentidão do Ser. A pergunta que ressoa dentro de mim: voar ou aterrar? Fiz e faço ambas. Pacificado de uma luta não terminada. A hora de construir a Comunhão para acertar o passo na Missão. Não posso querar mais nada. Um Nada Místico e Descoberto.

 

5. Leituras cada vez mais amadurecidas. Palavra-chave: re-colher. Recolher na dispersão a agenda real. Perder na secretaria burocrática, para ganhar na geografia dos afetos. Não impor mas compor. Intenções, meios e consequências: foi assim o reorientar em três confissões a jovens. “Padre chegado é padre solicitado”. Lição para dentro de mim. Agir Bem e Bem Agir. Para agir dentro desta Casa Comum é preciso sintonizar o Testemunho. Novamente, a Repetição… para visitar um Amigo podemos e devemos ir ao outro lado do Mundo. Virar-o-mundo-de-pernas-para-o-ar: se necessário for. Sem e com ironia como é o meu viver fortemente partilhado! Sou um verdadeiro apedeuta!

 

Pe. Pedro, Chapadinha-MA, 25 Agosto, 2014.

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Apontamentos, Diário, Espiritualidade, Incontinências, Música com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s