(3ª) Contra o COVID – 19: todos somos um! (04-04-2020)

(3ª) Contra o COVID – 19: todos somos um!

– Homilia/reflexão escrita –

“«Ide à cidade, a casa de tal pessoa, e dizei-lhe: ‘O Mestre manda dizer: O meu tempo está próximo.É em tua casa que Eu quero celebrar a Páscoa com os meus discípulos’»” (Ler/Rezar: Mt 26, 14 – 27, 66).

1.Vou novamente direto ao assunto, agora que não nos falta nenhum Tempo!? O Espaço /Tempo, fundidos de modo (a)normal, encontra-nos dentro da nossa Casa (Lar)!Convido pois a mastigar, neste domingo de Ramos, a reflexão profética de Teresa Power (Famílias de Caná), “Domingo de Ramos. “Ide à cidade, a casa de tal pessoa, e dizei-lhe: ‘O Mestre manda dizer: O meu tempo está próximo. É em tua casa que eu quero celebrar a Páscoa com os meus discípulos”. Escuto estas Palavras com a novidade que contêm. É em minha casa que Jesus quer celebrar a Páscoa! Cumpriram-se hoje as Escrituras. Chegou o tempo favorável das Igrejas Domésticas, reunidas uma em cada casa, mesa posta, velas acesas.

À mesa com os Doze, Jesus entristece-Se profundamente. Não porque o mundo O rejeita, mas porque a traição vem de dentro. “Um de vós irá entregar-Me”, diz. “Serei eu, mestre?” Perguntam todos e pergunta Judas. Perguntemos nós também, coração sobre o Coração, em oração humilde: “Serei eu, mestre?” (…) A Semana Maior está aqui. O véu do templo vai rasgar-se, a terra vai tremer, as rochas vão fender. Como as mulheres, “que tinham seguido Jesus desde a Galileia”, também nós iremos observar de longe. Sentar-nos-emos em frente do sepulcro, onde uma grande pedra nos ocultará o Salvador. E pressentiremos, no silêncio da noite, os primeiros movimentos do Ressuscitado. (In Correio do Vouga, 01-04-2020, p.9).

2. Li num editorial de revista missionária, a seguinte reflexão, direta à conversão do nosso Coração Inquieto: “Não é fácil saber ler os sinais. Especialmente os que nos são desconhecidos e surpreendentes. Todos, porém, têm uma leitura, um comportamento, uma estratégia, uma lição. Coronavírus, que nos fazes? Que nos dizes, bichinho invisível, matreiro e mau? (…) Disse e foi feito. As pessoas, as pessoas, a família, a família… Tempo e vez e voz para elas… Disseste. “Ide ao essencial”! – e sabendo que não estamos sozinhos, acrescenta: “Vieste dizer-nos, por exemplo, que Roque de Montpellier (o santo da peste negra de 1348), que Edith Moules (missionária alemã, na Guiné Bissau, entre os doentes com hanseníase), que Damião de Veuster (missionário até ao fim, na ilha de Molokai, entre os leprosos), que Ruth Pfau (irmã missionária no Paquistão, sempre junto de quem poucos se aproximavam e sepultada com honras de exéquias nacionais), que Maria Alleyrat (irmã missionária, 50 anos com os leprosos), que Epaminondas Remoudakis (sobrevivente de Spinalonga – a ilha da morte, na Grécia – e o bom samaritano dos seus irmãos leprosos), que Teresa de Calcutá e que tantos e tantas (…) [Ler, Artur de Matos, in Revista Boa Nova, Abril 2020, p.3]”.

 E nesta Corrente sem interrupções… estão também… HOJE, e nesta Hora de Sacrifício, Luta e Doação…. Os Médicos nas diversas especialidades, os Enfermeiros, o Pessoal Auxiliar de Saúde, os Voluntários Cuidadores, Farmacêuticos, Bombeiros, Proteção Civil, Forças de Segurança e Militares; Cientistas, em seus laboratórios e Investigadores de várias especialidades; Universidades e Politécnicos; Agencias Funerárias e seus Servidores, na assistência direta ao Luto das famílias; Padres e Cristãos Leigos, na assistência espiritual a moribundos e defuntos; Rececionistas em múltiplas situações e serviços; Motoristas e Taxistas…; Inúmeras Empresas e seus Funcionários (…alimentos, combustíveis, produtos de primeira necessidade, Etc…); Trabalhadores e Voluntários, junto com os Utentes de incontáveis Lares Residenciais; Servidores de infinitas IPSS e Organizações afins; os Voluntários Conhecidos e Anónimos…; A quem esqueço nesta lista sempre incompleta, ETC., Todos(as), sem exceção, dão de si no seu melhor até ao limite, e para além dele, não olhando a riscos próprios! Rezo e convido a rezar por Todos(as)!

3. Impressionou-me a leitura do testemunho (um milagre familiar!…) de uma Família na vizinha Espanha, “Nunca senti tanto medo na minha vida”. Os Cebrián Gervás têm 11 filhos e todos têm Covid-19” – “Para esta família, a fé foi também uma forte aliada neste combate ao vírus. De manhã, assistiam a missas transmitidas no YouTube e à tarde rezavam. Era uma forma de “escapar” à realidade que se vivia dentro de quatro paredes. Pediam por eles, mas também por todas as pessoas que estavam em situações de saúde iguais ou piores. (…) Só ao décimo segundo dia de quarentena os sintomas do coronavírus começaram a desaparecer e a família voltou à normalidade. Continuam ainda sem poder sair, por indicação médica, mas a recuperação dos 13 estará para breve. [LER in https://www.msn.com/pt-pt/saude/coronavirus/nunca-senti-tanto-medo-na-minha-vida-os-cebrián-gervás-têm-11-filhos-e-todos-têm-covid-19/ar-BB128OAI?ocid=spartanntp ,acesso, 04-04-2020]

Nas notas finais voltemos a meditar como sacramental de luz, na nossa penitência quaresmal, na Consagração da Igreja em Portugal e Espanha – ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria, Santuário de Fátima, quarta-feira, 25-03-2020; Hoje os nossos bancos continuam vazios, celebração em modo “privado”, à distância [com ou sem a transmissão “on-line”] Rezemos a Jesus Eucarístico com as palavras de Santo Afonso Ligório: “Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós” (VER: https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2020-04/a-oraco-de-santo-afonso-maria-de-liguori-para-a-comunhao.html?fbclid=IwAR05Hxm5SPvU5DRb_5AHqOKbrlqYe_sr1ngh66qJ65OQHqQbjaNDvXxlxZM) ”A Comunhão Espiritual é uma bela expressão do amor a Jesus no Santíssimo Sacramento. Não deixará de frutificar a Graça em abundância, na nossa fragilidade humana!

O isolamento em nossas Casas e as Medidas Sanitárias da DGS e o Estado de Emergência, são para continuar a cumprir na íntegra! Vivamos a Semana Santa que iniciamos, neste domingo de Ramos, olhando também à proposta paroquial que faremos na medida do nosso ritmo familiar. Hoje é o (nosso) Dia e Esta é a (nossa) Hora!

Santo Domingo de Ramos em Família! A Páscoa de Jesus em nossa Casa aproxima-se!

Pe. Pedro José, pároco de Mamarrosa e de Bustos, vigário paroquial de Palhaça e Oliveira do Bairro, 04-04-2020.

Esta entrada foi publicada em Espiritualidade, Mensagem, Notícias e política, Organizações, Paróquia da Mamarrosa (S. Simão), Paróquia de Bustos (S. Lourenço), Saúde e bem-estar, SANTOS(AS) com as etiquetas , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s