Comunicado Paroquial: 1 ºDia Mundial dos Pobres (19 Novembro 2017).

Comunicado Paroquial: 1 ºDia Mundial dos Pobres

(19 Novembro 2017).

 

Paróquia da Mamarrosa (S. Simão)

Paróquia de Bustos (S. Lourenço)

 – Informações Paroquiais –

 

Em ambas as Paróquias (Mamarrosa e Bustos) para além do que é próprio de cada comunidade.

Tivemos um Gesto: distribuir 1 exemplar por família da Carta PastoralDai-lhes vós mesmos de comer”, do nosso Bispo Manuel Moiteiro, que perante a pergunta “Onde está o teu irmão?” interpela: “Ninguém pode sentir-se demitido da preocupação pelos pobres e pela justiça social. Responsabilidade pessoal e respostas institucionais organizadas são duas exigências decorrentes da caridade que devem caminhar a par” (nº16, p.19) para nos ajudar a viver a Caridade pessoalmente e em Igreja.

Como a Iniciativa pedimos voluntários (3 a 5) para ajudar no estudo/criação do Grupo Caritas Paroquial, como objetivo deste ano pastoral. Na carta do nosso bispo, nos “Desafios Pastorais” lemos: “O II Sínodo Diocesano de Aveiro diz-nos que devemos dispensar o maior cuidado à pastoral da caridade em cada paróquia, e que se promova a formação de grupos ou equipas que concretizem esta ação eclesial da comunidade; que se fomente a partilha cristã de bens; e que a Igreja Diocesana se empenhe em estimular todos os membros do povo de Deus a assumir o compromisso social e a despertar para o voluntariado social (cf. II Sínodo Diocesano de Aveiro, pg. 106-107)” (nº22, p.26).

Os voluntários para este novo grupo devem falar com o Pároco, ou com o Diácono permanente ao serviço das paróquias.

Lembramos a importância de dois textos recentes que ajudam nesta reflexão para perceber a necessidade da pastoral da caridade/social de uma forma organizada e permanente:

“Estranha oferta do Papa: “Dia Mundial dos Pobres” por Pe. João Gonçalves

“Podemos encontrar excelente doutrinação e profundas interpelações na “Mensagem do Santo Padre Francisco para o I Dia Mundial dos Pobres”, que será, este ano, no próximo dia 19. É muito interessante que Francisco não dedica um Dia à Pobreza, mas aos POBRES, porque quer dizer-nos que o importante é a Pessoa carente, e não o conceito de Pobreza, que faz bom tema para discussões entre políticos e sociólogos… em areópagos, onde muitas vezes são confrontados conceitos, se procuram causas, se publicam altas conclusões, mas em que quase nunca há compromissos!

No termo do Jubileu da Misericórdia, o Papa quis “oferecer à Igreja o Dia Mundial os Pobres”! Diz oferta, porque quer ajudar as comunidades cristãs a serem sempre mais, e de modo mais claro, o “sinal concreto da caridade de Cristo pelos últimos e os mais carenciados”; a pôr-nos no caminho de maior evidência e transparência do amor preferencial pelos Pobres; eles “pertencem à Igreja por direito evangélico”, como solenemente proclamou o Beato Paulo VI.

Sem a preocupação de uma definição de Pobre ou de Pobreza – os “motores de busca” dão uma boa ajuda! – é preciso olhar à nossa volta, abrir bem os “olhos do coração”, e ver quem são os Pobres, quantos eles são, quais as necessidade primárias que não estão a ser respondidas capaz e dignamente; mobilizarmos pessoas, grupos, entidades públicas e privadas e, de mãos unidas e inteligências abertas, procurar, sem medos nem complexos, mas responsavelmente ir à profundidade das causas e, pondo o dedo na ferida, debelar as reais causas que empurram Pessoas para situações de pobreza, que nos incomodam e envergonham…

Nestes dias ouvimos dizer, em relação ao nosso País, de pessoa com responsabilidades públicas, que “o País está velho, está pobre, está só e está em muitas circunstâncias entregue a si próprio e abandonado”! Suponho que esta afirmação não terá sido pronunciada em contexto do Dia Mundial dos Pobres; mas faz pensar: quem são os responsáveis por tal situação? Como se mobiliza a Sociedade para encontrar soluções?

De certeza que o Cristão não se esconde atrás de razões cinzentas, mas vai à frente! E com a força e o mandato do Evangelho, não nega esforços, abre a inteligência, o coração e as mãos, e partilha teres e saberes, na luta verdadeira por não manter nem alimentar situações em espiral, que deixam tudo na mesma, e levam as Pessoas Pobres a um retorno de causas não suficientemente equacionadas, nem resolvidas.

E, para quem tiver dificuldade em ter à mão a Mensagem do Papa Francisco, transcrevo o que rezo com ele:”…Benditas as mãos que se abrem para acolher os pobres e socorrê-los: são mãos que levam esperança. Benditas as mãos que superam toda a barreira de cultura, religião e nacionalidade, derramando óleo de consolação nas chagas da humanidade. Benditas as mãos que se abrem sem pedir nada em troca, sem “se” nem “mas”, nem “talvez”: são mãos que fazem descer sobre os irmãos a bênção de Deus” (nº 5). Todos queremos ter mãos assim!”

FONTE: http://sites.ecclesia.pt/cv/estranha-oferta-do-papa-dia-mundial-dos-pobres/ , acesso, 20-11-2017.

“O princípio de um mundo melhor” – Por Pe. Filipe Martins, SJ, Publicado no Jornal “Expresso” (18/11/2017, p.34).

Paróquias de Bustos e Mamarrosa, 20 Novembro 2017.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Apontamentos, Paróquia da Mamarrosa (S. Simão), Paróquia de Bustos (S. Lourenço) com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s