Saúda! – Solenidade da Imaculada Conceição da Virgem Santa Maria (8-12-2015) – Padroeira principal de Portugal.

Reflexões: Ano CSolenidade da Imaculada Conceição da Virgem Santa Maria (8-12-2015) – Padroeira principal de Portugal.

“Com razão se alegra o ceú,

ao ser concebida a digníssima princesa,

que, ao depois, dará à luz o seu Senhor.

Com razão se alegra a Terra,

porque, nascida embora do nosso barro,

serás a glória, a luz e a formosura

do firmamento estrelado.

Congratula-se, com a Terra, o mar, com o mar, o céu,

com suas criaturas, o próprio Criador”.

 

ANCHIETA, José, S.J., POEMA: Sobre a Virgem Maria Mãe de Deus (de Beata Virgine Matre Dei Maria), Ed. Paulinas, São Paulo, 51996, p.65.

Disposição 1. – A abertura – “O Ano Santo abrir-se-á no dia 8 de Dezembro de 2015, solenidade da Imaculada Conceição. Esta festa litúrgica indica o modo de agir de Deus desde os primórdios da nossa história. Depois do pecado de Adão e Eva, Deus não quis deixar a humanidade sozinha e à mercê do mal. Por isso, pensou e quis Maria santa e imaculada no amor (cf. Ef 1, 4), para que Se tornasse a Mãe do Redentor do homem. Perante a gravidade do pecado, Deus responde com a plenitude do perdão. A misericórdia será sempre maior do que qualquer pecado, e ninguém pode colocar um limite ao amor de Deus que perdoa. Na festa da Imaculada Conceição, terei a alegria de abrir a Porta Santa. Será então uma Porta da Misericórdia, onde qualquer pessoa que entre poderá experimentar o amor de Deus que consola, perdoa e dá esperança” (“O rosto da misericórdia”, nº3).

O Fim – ”O Ano Jubilar terminará na solenidade litúrgica de Jesus Cristo, Rei do Universo, 20 de Novembro de 2016. Naquele dia, ao fechar a Porta Santa, animar-nos-ão, antes de tudo, sentimentos de gratidão e agradecimento à Santíssima Trindade por nos ter concedido este tempo extraordinário de graça. (…) Quanto desejo que os anos futuros sejam permeados de misericórdia para ir ao encontro de todas as pessoas levando-lhes a bondade e a ternura de Deus! A todos, crentes e afastados, possa chegar o bálsamo da misericórdia como sinal do Reino de Deus já presente no meio de nós” (“O rosto da misericórdia”, nº5).

Disposição 1.1. – “Portugal é um dos países que maior devoção tem demons­trado a Nossa Senhora, a começar pelo nome por que foi conhecido nos seus pri­mórdios, de Terra de Santa Maria. Os grandes acontecimentos da sua história ficaram assinalados por factos e monumentos ligados à SS. Virgem: Santa Ma­ria de Alcobaça, da Batalha, de Be­lém (Jerónimos), de Mafra… Em 1640, o País foi consagrado a Nossa Senhora da Conceição e, em 1646, ela foi proclamada padroeira e rainha do Reino, no santuário nacional de Vila Viçosa, o que foi confirmado pelo papa Clemente X, em 1671. Cerca de 40 % das paróquias portuguesas têm por nome ou orago Nossa Senhora, sob um dos 972 títulos registados por Jacinto dos Reis (1967)” (in Enciclopédia Católica Popular – D. Manuel Franco Falcão, – Versão Online: http://www.portal.ecclesia.pt/catolicopedia/artigo.asp?id_entrada=1186, acesso: 8-12-2015).

Disposição 1.2. – “A festa da Imaculada Conceição exprime a grandeza do amor divino. Deus não é apenas Aquele que perdoa o pecado, mas, em Maria, chega até a evitar a culpa original, que todo o homem traz consigo ao entrar neste mundo. É o amor de Deus que evita, antecipa e salva. O início da história do pecado no Jardim do Éden encontra solução no projecto de um amor que salva. As palavras do Génesis levam-nos à experiência diária que descobrimos na nossa existência pessoal. Há sempre a tentação da desobediência, que se exprime no desejo de projectar a nossa vida independentemente da vontade de Deus. Esta é a inimizade que ameaça continuamente a vida dos homens, tentando contrapô-los ao desígnio de Deus. E todavia a própria história do pecado só é compreensível à luz do amor que perdoa. O pecado só se entende sob esta luz. Se tudo permanecesse ligado ao pecado, seríamos os mais desesperados entre as criaturas. Mas não! A promessa da vitória do amor de Cristo encerra tudo na misericórdia do Pai. Sobre isto, não deixa qualquer dúvida a palavra de Deus que ouvimos. Diante de nós, temos a Virgem Imaculada como testemunha privilegiada desta promessa e do seu cumprimento.” (Papa Francisco, Homilia: 8-12-2015, Imaculada Conceição da Bem-Aventurada Virgem Maria, in http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/homilies/2015/documents/papa-francesco_20151208_giubileo-omelia-apertura.html, acesso: 8-12-2015).

Oração – dia 8:

Oração da Avé-Maria

(Sugestão: No momento de acção de graças, de mãos dadas,

Coloca-se a imagem de Maria no presépio paroquial).

P.S. Neste dia nas Paróquias, da Gafanha da Encarnação (missa às 10h30) e da Gafanha da Nazaré (missa às 11h15), tomaram posse, respectivamente, os Conselhos Económicos e os Conselhos Pastorais (na Paróquia do Carmo, o Conselho Económico, tomou posse a 13-10-2015; o Conselho Pastoral está em reformulação). A Diocese de Aveiro propõe, embebido no Evangelho e inserido na abertura do Ano da Misericórdia, o desafio/atitude a viver através da Palavra-Chave: Saúda!

Pedro José, Gafanha Carmo/Encarnação/Nazaré, 08-12-2015, caracteres (incl. esp) 4833

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Apontamentos, Libertar a Teologia, Mensagem, Organizações com as etiquetas , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s