Apontamentos sobre a Imaculada Conceição da Virgem Santa Maria: depois da ordenação diaconal de Pedro Barros (Sé de Aveiro: 8-12-2014).

Apontamentos sobre a Imaculada Conceição

da Virgem Santa Maria:

 – Padroeira principal de Portugal: depois da ordenação diaconal de Pedro Barros (Sé de Aveiro: 8-12-2014) –

[1.] A impossibilidade de fazer da homilia um alinhamento: com princípio, meio e fim. Estamos aquém do início; numa realidade paralela: não somos Atenas, mas Sócrates (como Anti-Figura) foi detido e com estas medidas de engenharia anti-corrupção: os meios não suportam mais os fins; daí que não seja possível ouvir a racionalidade do princípio do Segredo de Justiça (ou a injustiça do não segredo). Na isenção do pecado social na origem: a Natureza pública perde para a Vontade privada. A veracidade da falsidade.

[2.] Desde o livro do «Génesis» que, também, queremos descobrir por que é que o Tempo do mal está sempre avançar e nunca recua. Onde estamos? O que foi feito por nós? O que será feito de nós? Perguntas razoáveis e não só. O «Jogo» do mal que engana o bem. Sendo o Bem o nosso resultado final. Como escolhemos a Teologia, ciência da Eternidade, ou a Física, ciência do Tempo? A «Metafísica Teológica» dá os primeiros argumentos na partilha ideológica. Platão também deveria estar aprisionado.

[3.] Como a questão existencial e eclesial da Imaculada Conceição: será a luz que guia para mais luz. Não os cegos que lideram cegos: pecados trazem mais pecados. Como não compreender a razão da incompreensão. A Virgem que disse «Sim» a Deus e tornou-se Mãe do filho de Deus. A Igreja de Tradição Católica: tem por mãe, a Mãe de Deus. O caminho do discernimento na “advocacia da Graça” completa-se como “modelo de Santidade”. Depois de Cristo, filho de Maria de Nazaré, não temos desculpas para não fazer o que realmente Deus deseja para a Humanidade.

 [4.] «Até onde se pode ir?» Vivemos num mundo que passa o Tempo a querer que actuemos sem pensarmos nas consequências do Mal. O «Pecado Original» mete a mão na nossa consciência impura de bens menores. A tragédia está apenas no seu primeiro acto desigual fundador. Nossa «Dignidade» fugiu diante do irmão mais pequeno. Estamos na missa onde a paraliturgia, preferencialmente, da música sacra compassada, torna surdo o Desejo de Bondade do Deus que continua a compor harmonia com os desafinados. Leva o seu tempo: de desafinação em desafinação, até à Harmonia final.

[5.] A Conceição da Virgem na era biogenética a exemplo científico incomum. Como não regular o discurso da Fé. «Porque a Deus nada é impossível». «Só Deus basta: mas não basta um Deus só». Lavagem do Coração depois da lavagem da Mente. Assistimos a uma nova ordem que se instala nos velhos dilemas. Para os amigos da Serpente inimiga foi-nos dito: «Esta te esmagará a cabeça e tu a atingirás no calcanhar». Continuaremos a cavar a nossa própria Ressurreição pela Esperança Incondicional. A impureza das cifras linguísticas.

Pedro José, CDJP, Gafanha da Nazaré/Encarnação/Carmo, 08-12-2014. Caracteres (incl. espaços): 2643.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Apontamentos, Incontinências, Libertar a Teologia com as etiquetas , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s