Haverá um lugar definitivo?

Haverá um lugar definitivo?

Reflexões: Ano A – Vº Domingo Tempo Pascal – -Jo 14, 1-12.

“Perdoa, Senhor, a minha infantil insolência / De pensar teres Tu perdido a cabeça, / Prometendo uma vida nova que, agora, começa / Quando, para trás, me ficou a inocência – Manuel Armando in Domingos de Luz e Poesia, p.83.

1. 1. Há um lugar definitivo. – Somos inconstantes, doutro modo não seríamos aquilo que de facto somos. Essa inconstância de que somos feitos traz-nos perturbações. Mais ou menos graves. As perturbações do coração são responsáveis pela cegueira na compreensão. É seguro o desafio: “não haja perturbação” (cfr. Jo 14,1). Os passos na direção certa.

1. 2. Há um lugar definitivo. – É mais do que um simples lugar. É um estado de Comunhão. A razão de todo um percurso. É a meta alcançada na sinergia da missão. Uma vida peregrina de “onde se vem” e “para onde se vai”. “Como podemos conhecer o caminho?” (Jo 14,5). Êxodo interior sem perda de exterioridade.

1. 3. Há um lugar definitivo. – Evangelho do consolo. Não quero. Não suporto. Perda de tempo. Suprema e derradeira heresia cultural, da nossa parte. Nosso provisório, nosso insustentável: «não». Que não “o” pedimos na Indiferença Ética: -Obrigado mas a salvação não me diz nada!? Haverá consolação imerecida do desamor!?

1. 4. Há um lugar definitivo. – Queremos saber mais. Não apenas contar o que as pessoas fizeram. Saber que somos esperados: não importa “o como” chegamos. Nosso ministério-de-chegar havendo já morada preparada. Haverá uma morada para todos nós, mesmo que sabendo o caminho, tivéssemos errado na decisão de caminhar?

1. 5. Há um lugar definitivo. – O haver em nós. “Há mais em nós”. Ofertas de si para o Bem Comum. Coisas não compradas na impossibilidade de haver preço para tal. “Descoisificar” a vida urge. Não acreditamos que Ele é o caminho, a verdade e a vida? Não falamos que Ele trilhou o Caminho-da-Dor até ao fim para encontrar a Verdade-da-Vida?

 

Por: Pedro José, CDJP, Gafanha da Nazaré/Encarnação/Carmo, 17-05-2014. Caracteres (incl. espaços): 1626.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Espiritualidade, Libertar a Teologia, Mensagem com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s