«Renova-te», isto é, não somos papel rasurado, apenas papel branqueado por Deus – Reflexões: Ano A – Vº Quaresma – Jo 11, 1-45.

«Renova-te», isto é, não somos papel rasurado,

apenas papel branqueado por Deus.

Reflexões: Ano A – Vº Quaresma – Jo 11, 1-45.

“Por veredas tortuosas ou estreitos carreiros, / Cada um poderá tentar responder / A quem nos chama aos lugares cimeiros / Da ressurreição consciente e livre do dever” /Manuel Armando in Domingos de Luz e Poesia, p.69.

[1.] EXPLICAÇÃO de Lázaro.

O que realmente nos interessa é “o” Lázaro que morre dentro de nós.

Ele é aquele que Jesus amava!

Temos medo de morrer depois da morte?

Temos medo de morrer antes da vida?

Aquilo que tínhamos de melhor e que Jesus amava tanto morreu, e Ele Jesus chorou por isso. Temos os olhos cansados de ver. Olhos cansados na dor de não ver o Amor depositado por Deus na nossa vida. Lázaro vem de Lázaro”. Só Deus vem de Deus.

“Lázaros mortos lentamente”, de um viver sem horizonte. O chão não é o nosso limite é o ponto de arranque, a fixação que permite o Infinito. Chão que não é pois o Túmulo, mas Terra a semear.

Seria muito triste se o evangelho terminasse aqui onde Jesus chorou e a pedra do túmulo não fosse arrancada. Diante desse “Lázaro que morreu dentro de nós, chega Jesus e ordena: “Lázaro, sai para fora!”

[1.1.] MEDITAÇÃO por Lázaro.

Perdão é o modo como Deus (nos) ama.

Nós não sabemos perdoar. Precisamos aprender.

Por isso, no “Pai Nosso” pedimos a Deus para perdoar como somos perdoados.

No Perdão somos renovados.

Faz esta experiência com Lázaro, nas lágrimas de Marta e Maria.

Maria que saiu de sua Dor e foi ao encontro do Mestre.

Marta que reluta na hora de retirar a pedra do túmulo.

Estamos todos lá em “Betânia”…, a Verdadeira Vida está no-que-Deus-acorda-em-nós:

na nossa infância, na nossa juventude, no amadurecer;

nos compromissos, na entrega, no trabalho árduo; na confissão dos pecados;

na dança da alma; nos últimos amores, como nos primeiros.

– Quem sabe o Amor pode mesmo ressuscitar em nós?

[1.1.1.] ACÇÃO em Lázaro.

E porque não…

Pedir perdão a quem ofendi?

Não precisamos de ressuscitar os nossos mortos dos cemitérios, porque Deus já os acolheu na Glória, são transparentes para Ele. É a transparência do Ser. Estão nos braços de Deus.

Os lázaros “mais perigosos” que morrem estão aqui/continuam dentro de nós (…Igreja, …Medo, …Injustiça, …Consumo …Ruído …Informação…), sabemos, ou não, da sua morada e dos seus passos, das suas ilusões e distracções. São “esses lázaros” que Jesus chama para Vida. Plena. Jesus quer acordar e ressuscitar a Beleza e a Justiça que Deus depositou em cada um de nós.

Pouco mas Ressurreição que Vale!

Razões para ir fundo na razão de esperar. Renova-Te!

O Amor a Lázaro, Marta e Maria. Quem perdoa, acredita Nele, e sabe que não morrerá!

 

Por: Pedro José, CDJP, Gafanha da Nazaré/Encarnação/Carmo, 05-04-2014. Caracteres (incl. espaços): 2500. FONTES: Cfr. JB Libânio, “Um Outro Olhar”, Volume IX, pp. 64-65; Cfr. AZEVEDO, Dom Walmor Oliveira, in Na Escola do Salvador, pp.351-354.cfr.http://www.ihu.unisinos.br/espiritualidade/comentario-evangelho/500087-quinto-domingo-de-quaresma-evangelho-de-joao-11-1-45, acesso 5-04-2014.
Advertisements
Esta entrada foi publicada em Espiritualidade, Mensagem com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s