“Romagem-Homenagem a D. Antonio Barroso”‏ por Castro Afonso

Bons amigos

Partilho com todos  esta pequena notícia para conhecimento de mais um passo na veneração do missionário da Boa Nova, D. António Barroso.

Realizou-se no primeiro Domingo de Setembro, dia um, mais uma romagem, a pé, desde a estação do caminho de ferro de Barcelos até à capela-jazigo de D. António Barroso na freguesia de Remelhe. É romagem-caminhada que se iniciou em 1963, fez agora 50 anos, e se realiza anualmente no primeiro Domingo de Setembro, organizada pela associação “Grupo de Amigos de D. António Barroso”. Percorre o caminho que fez o cortejo fúnebre de D. António Barroso em 1918, que veio de comboio do Porto, onde faleceu em 31 de Agosto de 1918, e seguiu a pé com centenas de pessoas até à sua terra natal de Remelhe. Agora são centenas de pessoas que todos os anos prestam esta veneração à santidade do grande missionário que palmilhou milhares de quilómetros em três continentes. Nos últimos três anos tomei parte na homenagem com os seminaristas da Formação Missionária, de Cernache do Bonjardim. Neste ano a nossa participação estava anunciada no cartaz. Estivemos na partida, às 08.30 horas, no largo da estação. Os seminaristas integraram-se na caminhada. Por imposição do programa, coube-me a mim fazer a saudação aos caminhantes junto ao monumento a D. António Barroso em frente da Câmara de Barcelos. Os seminaristas associaram-se a mim com um cântico de homenagem a D. António Barroso em língua macúa, língua do norte de Moçambique, que o santo missionário terá gostado de ouvir lá no Céu donde todos cremos que nos via e ouvia.

À chegada a Remelhe realizou-se a cerimónia de veneração e descerramento da lápide dos 50 anos das romagens. Seguiu-se a Missa dominical, a que tive de presidir, por amável insistência do pároco, P. Adílio de Macedo, e em que, à luz da Liturgia do dia, falei de D. António Barroso como modelo e intercessor de missionários, salientando que o processo de beatificação, que está bem encaminhado, tem exactamente esta finalidade: que ele seja reconhecido e declarado, publicamente e eclesialmente, como modelo e intercessor de missionários e pastores. A romagem-caminhada teve o apoio logístico das autarquias locais, das corporações de bombeiros, das forças de segurança, e da associação dos Amigos de D. António Barroso, promotora anual deste acto de veneração. Nas cerimónias e Missa, em Remelhe, participaram o vice-presidente da Câmara de Barcelos e vários presidentes de Junta.

Castro Afonso

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Apontamentos, Libertar a Teologia, Organizações com as etiquetas , . ligação permanente.

Uma resposta a “Romagem-Homenagem a D. Antonio Barroso”‏ por Castro Afonso

  1. Obrigado pela notícia-mensagem. Também admiro este grande missionário. Também me uno aos esforços pelo reconhecimento da sua virtude heróica, rumo à canonização oficial, expressão pública e eclesial de santidade.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s