«A tradição que conserva a mudança» – Reflexões para Ano B – Dom XII TC, Dt 4,1-2.6-8; Tg 1,17-18.21-22.27; Mc 7,1-8.14-15.21-23 (01-09-2012).

A tradição que conserva a mudança

Reflexões para Ano B – Dom XXII TC, Dt 4,1-2.6-8; Tg 1,17-18.21-22.27;

Mc 7,1-8.14-15.21-23 (01-09-2012)

     Jesus não era contra os ritos. É claro que os fariseus tinham direito de lavar as mãos, e ninguém seria contra isso (ainda mais hoje do que sabemos em termos de higiene e limpeza sanitária). Os ritos, os costumes são necessários. Jesus quer dizer que não podemos ser escravos dos ritos.

      Nosso Deus é diferente. Não quer “acrescentar”, nem “suprimir” – nos termos em que a Lei era visto pelo autor de Deuteronómio que colocou na voz de Moisés – mas que se deve “guardar”. Guardar em “humanidade”, em “dignidade”, em “liberdade” tudo o que Deus nos confia e incentiva a viver.

       Cuidado extremo com a «exterioridade» que possa desvirtuar o verdadeiro e único culto agradável a Deus: o amor para com o irmão. As acções que contaminam as pessoas não vêm de fora, mas brotam de dentro, do coração do homem. A impureza de que é preciso limpar-se é só a moral.

        Entre os pecados que serão sempre finitos na gravidade, modo e consequências do mal: Jesus aponta uma origem: «interior do homem». Entre as manifestações, frutos e dons do Amor que serão sempre infinitos (de Deus por nós, e de nós, pelos nossos irmãos, devolvendo ou não, a iniciativa da pergunta/resposta ao próprio Deus encarnado…): Jesus testemunha uma origem: «A lei do Amor é interior» ou «O Amor é uma lei interior». Esse Bem tem uma beleza interior sem pele.

      Quem sabe e aprende a saber escutar o que tem «dentro-de-Si», mal ou bem, é sensível à Verdade do Amor. Ritos, costumes, e mentalidades estarão ao serviço do Próximo e da Vida e nunca o contrário. Do interior não há máscaras…, há espelhos…, luzes e Silêncio.

                                            Por: Pedro José, Gafanha da Nazaré/Encarnação, 01-09-2012.

Caracteres (esp.incl.): 1572.

 

 

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Não categorizado. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s