dias líquidos

 

dias líquidos

 

 

Estava tudo tão certo, tão livre e tão bem previsto.

 

Um pouco insatisfeito. Após o pequeno almoço tive de partir ligeiro. Junto com a bagagem. O pensamento abstraído em mil ilações a concretizar, todas inválidas, porque não acontecidas ainda. Dançava sem saber que música presidia ao meu quotidiano perfeito de miudezas.

 

Começava o esforço da entrega consumia-me o pensamento. Nem-o-ato-de-pensar-o-chegava-a-ser. Celebrar o nó da garganta seca. Não ter o que dizer. As palavras ausentam-se com facilidade tremenda. As palavras mais necessárias. Querer saber os motivos, as causas. Saber sem poder anunciar ou denunciar. Apenas saber e saber guardar o segredo.

 

DolaresNeste dia líquido, entre muitos outros, nada aparece conforme o programado. Deus absolutamente na contramão. Assim foi. Sem mais. Sem dramas ou enigmas, sem tragédia ou ressurreição. Apenas dias liquefeitos. Santidade sem mais explicação. Felicidade mais humanizada. Pedido de desculpas na procura de uma verdade mais humilde. No fim de contas a coragem de ser alguma coisa é mais necessária do que eu jamais julgara. Confiança é mais alguma coisa que o ter confiança. Trata-se de ir até ao fim. Isso sim é fidelidade.

 

 

Não termino os dias só assim, a meio de uma conversa desigual. Os olhares dos cegos. Olhar “de fora para dentro”. Ou “de dentro para fora”. Deu para entender? Olhar de cego. Sem mais rodeios. Professo essa luz na escuridão. Serenidade agitada. Disse: meus dias não são mais líquidos. Uma, e outra, e outra vez mais. Consciência líquida. Água é vida. Na última vez venci a insônia. Vencer ou vencer. É perdendo que se vence, não há alternativas. Há uma alternativa.

 

Ceia_Circular 02

 

 

Tão certa e tão livre. Felicidade de ver o ponto cego da pintura existencial. Auto retrato em rascunho. Não há mais tempo. Demorar na dúvida… dia mais líquido. Descobrir a sabedoria de não ver mais e insistir no Deus que se esconde na ausência de palavras. Deus é tudo aquilo que do centro se afasta cada vez mais na minha propriedade.

 

Eu preciso de palavras e silêncios. Deus é a música no silêncio.

 

 

 

POR: Pedro José, Chapadinha, 24-06-2010.

2041 caracteres (com esp. incluídos) – 00h36 (dia 25).

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Espiritualidade. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s