Prémio Camões distingue Ferreira Gullar

 

Prémio Camões distingue Ferreira Gullar

31.05.2010 – 19:05 Por Isabel Coutinho

O prémio Camões 2010 foi hoje atribuído ao poeta brasileiro Ferreira Gullar. O júri não tinha ainda conseguido comunicar ao premiado que foi distinguido com o galardão. Gullar foi distinguido pela "nota pessoal de lirismo" e "valores universais" no seu trabalho.

A decisão foi anunciada numa conferência de imprensa ao final da tarde no Hotel Tivoli, em Lisboa, pela ministra da Cultura, Gabriela Canavilhas. O júri esteve reunido durante a tarde de ontem em Lisboa, por duas horas, e a decisão foi tomada por maioria.
O autor tem uma integral da sua obra editada pela Quasi – "Obra Poética" (2003).
Helena Buescu, (professora catedrática da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa), José Carlos Seabra Pereira (professor associado da Universidade de Coimbra), Inocência Mata (escritora santomense e professora da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa), Luís Carlos Patraquim (escritor e jornalista moçambicano), António Carlos Secchin (escritor e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro) e a escritora brasileira Edla van Steen foram os jurados deste prémio.
Esta é a 22ª edição do Prémio Camões, atribuído pelo Estado Português e Brasileiro desde 1989, que distingue anualmente um escritor de língua portuguesa que, pelo conjunto da sua obra, contribua para o enriquecimento do património literário em português. O valor do prémio é de cem mil euros (50 mil euros pagos por Portugal e quantia identica paga pelo Brasil) e será entregue numa data a anunciar em Lisboa
No ano passado, embora fosse razoavelmente previsível a escolha de um autor africano já que nas duas edições imediatamente anteriores o prémio tinha sido atribuído a um português (António Lobo Antunes) e a um brasileiro (João Ubaldo Ribeiro), o nome do poeta e ficcionista cabo-verdiano Arménio Vieira constituiu uma surpresa. Mas na verdade"há vários anos que um poeta não era distinguido", justificou na altura ao PÚBLICO Helena Buescu, do júri. O último poeta tinha sido o português Eugénio de Andrade, já em 2001.

FONTE: http://www.publico.pt/Cultura/premio-camoes-distingue-ferreira-gullar_1439917, acesso: 31-05-2010.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Cultura. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s