Arte de dormir e sonhar: apontamentos.

 

Arte de dormir e sonhar: apontamentos.

 

Dormir_de_leao[1.] O Francisco Mário, seminarista da S.M.B.N., – continua os seus estudos de Teologia em Minas Gerais – BH, ele que realizou seu estágio pastoral, na nossa paróquia em 2009 – enviou-me um álbum de fotos estupendas. Escolhi a vencedora… o Rei e a Rainha (da Selva!) dormem o justo sono da paz (é improvável que seja pai e filha ou mãe e filho, mas nunca se sabe com a fecundação moderna) e, haja arte e tempo, em pleno dia! Ou seja, estão na sua siesta restauradora! Os animais é que sabem o que é qualidade de vida! Foi uma eleição por critério de necessidade, de superação e por radical mistério.

 

[2.] Sobre a arte espanhola da siesta – era uma das minhas invejas secretas – já conseguiram provar que “os intervalos prolongados na jornada de trabalho custavam à economia espanhola oito por cento do Produto Interno Bruto”. Resolução prática: acabaram com a famosa siesta… é, foi, e será uma tragédia para o desenvolvimento dos povos (e culturas). A relação entre produtividade – eficiência – e sono é polêmica… Mas recordo que uma das piores torturas é não deixar dormir! Já uma empresa japonesa – o Dream Workshop da Takara – constrói um aparelho que permite escolher os sonhos. Tal aparelho – não entro em detalhes – já está no mercado. “Imaginem uma boa propaganda: “Sonhe o que quiser por US$ 136! – que é o preço do aparelho. Executivos cansados e à beira das neuroses se candidatam a ser os melhores consumidores, Freud a estas alturas deve tremer no túmulo. Tanto esforço para conhecer o inconsciente, agora os sonhos são produto do consumo consciente!” (cfr. J.B.Libanio, Em busca de lucidez, Edições Loyola, 2008, p.18).

 

[3.] Não tenho uma boa qualidade de sono. Penso que progressivamente estou a dispensar horas de sono que me fazem falta. Há inúmeros estudos científicos a comprovar o bem estar holístico da pessoa, no seu desenvolvimento e na sua sobrevivência diária, desde o berço à velhice…com a qualidade do sono. Quantidade também é Qualidade? Para mim é e não é. É preciso cultivar a arte de dormir para o bem espiritual da humanidade inteira. Ser dorminhoco é ser mais inteligente! Inteligência é criatividade. Criatividade é espiritualidade. Tive um colega, por sinal o melhor aluno do meu curso, um verdadeiro Às a dormir nas aulas… de repente acordava e automaticamente assumia a gravação escrita teleguiada dos apontamentos dos professores! Sem dúvida uma clareza genial!

 

[4.] Como muitos mortais eu simplesmente adoro dormir. Mas infelizmente durmo o tempo que me resta, ou melhor o que consigo inventar. As segundas-feiras são misteriosos milagres nesta prática. Em muitas situações, como agora, estava quase a morrer de sono (tudo bem, só dormi quatro horas ontem…), mas de repente tudo desapareceu!? Eis o meu ciclo de vício: necessidade – superação – mistério. É vida, é cultivo de arte…, e ‘de repente’ tudo desaparece num mistério escatológico do “já” e do “ainda não”. Tenho sono e deixo de ter sono… Acredito que ao gostar de dormir (e em muitos sonhos e parcos pesadelos… e não falo em profecias sonolentas…) aumento a qualidade do Pensamento. Odeio o barulho, o som da TV…, a zoada (especialmente a música: “Eletrônica-Techno-Dance” – como a que ouço agora: dum, dum, dum, dum-tam, dum-tam, tam-dum paaannn, dum, paaannn…taaammm). Esquecem que dormir é um prazer tão barato, sadio, inteligente, que faz bem a tudo, pele, olhos, ossos, parte hormonal, sei lá que mais. Sei que é impossível ter boa Fé sem sono autêntico. Por isso estou em perigo mortal. Sei de santos(as) que dormiram pouquíssimo, fizeram vigílias ‘carismáticas’… eu perco-me em ‘diretas’ levianas! Quem é o(a) santo(a) protetor(a)… merecia um ensaio teológico!?

garfield_sonolento[5.] Dormir acordado é um ideal inatingível. Especulo que não deveríamos ser criaturas de sono leve ou pesado. Penso nisso durante as ‘sonecas’, ‘cochilos’, ou ‘transposições’ na minha confortável REDE… que é uma invenção só comparável à roda (para o Labor). Rede para o Lazer. Queria, aspiração profunda, só dormir um pouco mais e melhor. Ou então resta-me uma tábua de salvação: sonhar que durmo cada vez mais e melhor. “O poeta diz que “o sonho comanda a vida”. E o povo replica que “sonhar é fácil”. (…) O gosto de viver está unido à capacidade de sonhar e à decisão de lutar. Sonhar e lutar por causas nobres e pela solução de problemas urgentes, que estão impedindo que a vida circule ao ritmo do tempo que muda. (…) O tempo, a idade, as dificuldades sentidas, nada é determinante, quando se está já determinado por um ideal e um sonho que justifica a vida com tudo o que ela comporta e exige” (Cfr. MARCELINO, Dom António, in Correio do Vouga, “Sonhos, desencantos e lutas” http://www.ecclesia.pt/correiodovouga/, acesso: 20-03-2010).

 

[6.] Entretanto, continuarei com o meu sono fragmentado. Como um disco rígido de PC, estou à beira dum (im)puro processo de ‘desfragmentação’? Até quando…

 

 

POR: Pedro José, Chapadinha, 14-05-2010. 4897 caracteres (com espaços incluídos).

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Apontamentos. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s