Egolatria sem desculpas?!

 

 

Egolatria sem desculpas?!

 

 

[1.] Elogio da Simplicidade… se reciclar significa sustentabilidade, domar o desejo do novo; eu professo sou viciado em novidades velhas, ex. Vinho do Porto – D. Antónia e Flores silvestres.

 

[2.] Elogio do Ler… se é uma das necessidades básicas do ser humano; eu professo tenho lido um pouco/quase tudo, ex. J.B.Libânio (lucidez), Philippe Brenot (masturbação), e Martin-Prével (divorciados).

 

 

[3.] Elogio da Imprudência… se arriscar significa não ter medo da morte; eu professo tenho medo do morrer e não da morte, ex. Café Crème – Henri Wintermans Cigars.

 

 

[4.] Elogio da Ternura… se acolher é ser delicado a partir do cheiro do Outro; eu professo amo a intimidade na pele, ex. Sabonete Leite e Mel: Honey & Milk – O Boticário.

 

 

[5.] Elogio da Liderança… se administrar é ser sinal de contradição pura; eu professo venero treinador que ao ganhar aplaude a sua torcida no campo do adversário, ex. José Mourinho – Inter de Milão.

 

 

[6.] Elogio do Dormir… se bem aplicado elimina o stress, suaviza a experiência no “olho do furacão”; eu professo consciência perplexa, sofro de insônia, ex. Todas as Segundas, levantar depois da 11H39.

 

 

[7.] Elogio da Sexualidade… se a complementaridade não me é possível, serei casto sem castração; eu professo sou “célibe pelo Evangelho” (Jacques Noyer), por sublimação, e por santidade libidoso integrado, ex. Todo o olhar é “santo”, todo o olhar é “adúltero”, todo o olhar é “inocente”. Os gestos são tão belos como as palavras.

 

 

[8.] Elogio da Pobreza… se a pobreza está no corpo, na obediência, e na fidelidade ao Reino de Deus: fora do Mundo não há salvação…; eu professo ainda não sou pobre, estou longe…, não me quero afastar…, tenho tentações estúpidas de pseudo-bem-estar e de status (também de sub-cultura), ex. empresto quase tudo e uso emprestado, dou sem arrependimento; meu lema plagiado é 2 Cor 12,15.

 

 

[9.] Elogio do Dinheiro… se muito, faz muito mal, causa até a própria morte; se insuficiente pode ser mortal; eu professo uso cartão, transferências internacionais não são permitidas…, ex. oferto meu “dízimo” (conversão tardia); sou perdulário, todos os domingos: JP (3,00R); O Imparcial (3,00R) e O Estado do Maranhão (4,00R).

 

 

[10.] Elogio da Amizade… se por condição de estado é melhor fazer amigos fiéis com “ideologia”…, sendo as amigas mais aprazíveis; eu professo sem amigos é impossível sobreviver à angústia, à solidão ou ao trabalho, ex. tudo com exagero: críticas e elogios, transmito vírus, faço milagres, em presentes e em renúncias; ligações: sms, facebook, e-mails, boemia, etc… aos/ás amigos(as) intemporais.

 

 

[11.] Elogio da Verdade… se a dificuldade em reconhecer os erros e o erro grosso aumenta com a idade (maturidade onde estás?); eu professo só me interessa (sentido etimológico) a Verdade, mesmo que me custe o preço inafiançável da Felicidade…ex. o nome da Instituição não está em primeiro, em primeiro e último estarão, sempre, as Pessoas.

 

 

[12.] Elogio da Fé/Religião… se bem que são ‘coisas’ muito diferentes, quem tem uma verdadeira, tem as duas casadas para sempre; eu professo sou crente heterodoxo conservador, ex. já consigo rezar o Terço sozinho, e até cinco santas missas, num só dia, sem protestar (muito).

 

 

Por: Pedro José, Chapadinha, 29-04-2010.

Caracteres (espaço incluídos): 3210.

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Incontinências. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s