Inocência Encontrada: sobre um texto de L.F. Veríssimo

 

 

“Inocência Encontrada”

 

– sobre o texto “Palavreado” de L.F. Veríssimo

 

 

Um texto corrido sobre um texto – “Palavreado” de L. F. Veríssimo. “Palavreado” encerra três sub-textos (1 maior e 2 menores). A história principal – história de amor e paixão ou sexo e fúria (em tempos pós-modernos de sexomania) – desenvolve-se entre “Lascívia” (uma mulher não “fornida”, isso lamentavelmente…) e “Lipídio”. A história entre a “fome” e “vontade de comer”. Ela, Lascívia, encarnação eterna da Luxúria, que pede no ponto “G” (nem a favor ou contra…) a presença de “vespúcio” junto ao seu “passe-partout” – a anatomia corporal inteiramente recriada – e Ele, Lipídio, reduzido potencialmente a composto químico de qualidade superior, nas palavras do autor ,“até ficar de reles”, isto é, na essência do Despudor. No clímax a história-paródia arrefece, pois “Muxoxo” (o autor brinca com mestria… o beijo, a carícia, sacanagem pura!), qual algoz quer a cabeça (ficamos sem saber qual das cabeças!?!?…rsrsrsrs) do trovador Lipídio. Mas o cavalo de Lipídio, “Escarcéu” (mais uma dose de riso incontrolável…impossível ler Veríssimo de boca fechada) salva o nosso anti-herói, para longe da vingança de Lascívia. Viva o conformismo! Diga não ao Viagra! Não use agro-toxicos!

 

Nos restantes dois sub-textos. “Falácia” animal de criação de “Otorrino” e de “Bazófia” (outro casal) vai ser vendido em quantidade (“compro todas as falácias” – é monopólio em estado puro) a “Pseudônimo” (mais um jogo de palavras duplo no esclarecimento: “não é o seu verdadeiro nome”). Melhor Pseudônimo faz a proposta de pagar “falácias” com “pinotes”. Veríssimo é um mestre do humor no “non-sense” de estilo corrosivo. Dói mas cura. Estamos perante um fenômeno de denegação informativa do tipo: “- Há corrupção mas ninguém é condenado como corrupto!?”.

 

Último sub-texto. “Larota” é explorada por “Falcatrua”. No primeiro texto há amantes; no segundo um casal; neste último, “Falcatrua” é namorado. Conclusão: todos os tipos de relacionamentos (quase todos…) e nenhuma certeza. Princípio da Incerteza Amorosa!

 

No fim de todo o “palavreado” fica o puro absurdo. Um copo de cólera. E na boca amorosa nasce um sorriso, onde o humor é mais uma vez o fio-condutor de Sentido e Realização. Com Veríssimo o resultado de seu “palavreado”, nosso palavreado anti-social (era do individualismo grosso e torto), é paradoxal: o que é normal, não atrai; e aquilo que está difundido e disponível em todo o lugar/tempo apaga o Desejo. Seremos impotentes? O ser é ob-sceno!

 

Entretanto, continuemos a ler a boa literatura: outro ‘Jabuti’ para o Veríssimo, ele merece!

 

 

POR: Pedro José, Chapadinha, 19-02-2010.

Caracteres (espaço incluídos): 2542

 

 

 

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Apontamentos. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s