Boletim Paroquial “Vida Nova” nº02 (24-01-10) – Paróquia N. S. Dores – Chapadinha

 

 

1. É o segundo Boletim Vida Nova de 2010! (*)

 

As máquinas, os projetos e as pessoas voltam a sonhar…Exemplo: estamos lançando/implantando a Pastoral da Sobriedade:

“Desafios à nossa realidade – Temos a graça de, neste final de semana, podermos contar com a presença de uma equipe de S. Luís que vem treinar pessoas para se fundar na Paróquia a Pastoral da Sobriedade. Somos de uma religião que ama a vida, que nos fala muito de alegria e nos deseja felizes. Não podemos ser escravos de dependências que nos matam, nos tiram a alegria de viver e não nos deixam ser felizes nem fazer felizes as pessoas com quem convivemos. A vida é bela. Merece todo o esforço para que a abracemos e a vivamos. A Pastoral da Sobriedade será mais um esforço de nossa comunidade a favor da vida”.

Temos tido "ligeiros" problemas de saúde na equipa sacerdotal. Depois da operação relâmpago do Pe. Casimiro; cuidando da idade avançada do Pe. António, aproximam-se os 80 anos…; entretanto o Pe. Manuel Neves, pároco imprescindível, passou a semana inteira em S. Luís.

A notícia breve: "P. Neves esteve toda a semana em S. Luís, acom-panhado pelo P. Pedro, fazendo consultas a especialistas, análises e sujeitando-se a uma ressonância magnética para os médicos se certificarem de obstrução do canal da vesícula. Está em observação dos médicos, mas vai ser sujeito a novas análises."

 

 

* 2. A Família Missionária também é notícia:

 

"HORA DE PARTIR – Vão seguir para Portugal as Irmãs Isabel das Missionárias da Boa Nova e Ana Cristina das Criaditas dos Pobres. Irmã Isabel seguirá depois de um tempo de repouso para o Norte de Moçambique e Irmã Ana Cristina terá um tempo de atualização juntamente com outras colegas do instituto. Às duas aqui deixamos nosso sincero agradecimento a Deus por todo o trabalho realizado e fazemos votos de feliz apostolado onde quer que Deus lhes peça que trabalhem. Seu gesto a serviço do Reino é um lembrete a muitos jovens para estarem disponíveis aos apelos de Deus. Todos somos missionários. Temos que nos responsabilizar pela evangelização do mundo. Mas alguns são chamados a serem sentinelas do mandato do Senhor, a ficarem de plantão para que nenhum batizado se esqueça do dever missionário que sobre ele cai. Ao vê-las partir ficamos sonhando de um dia nossa paróquia também poder enviar alguns leigos ajudar o trabalho missionário lá longe, junto de povos que nunca ouviram falar de Jesus ou onde a Igreja tem mais necessidade de auxílio para se organizar".

 

 

* 3. Sobre a cidadania e a virtude da caridade:

 

UM FAVOR À OPOSIÇÃO E UM DESPREZO AO POVO

"É uma vergonha! Pior: uma perversidade, um crime, um atrevimento irresponsável e revoltante. Mensalão para cá, mensalinho pra lá, dinheiro nas meias, na cueca, dinheiro passado para as mãos, para os bolsos, eu sei lá para onde!…Dinheiro aos montes, aos montões… escândalos políticos, econômicos e até esportivos pipocam por todos os noticiários nacionais e locais. E o resultado final termina sempre: "ninguém é punido!" E há gente que não tem vergonha nem escrúpulos. Prejudica a sociedade e depois coloca um sorrisinho paripatético, tentando passar por inocente". A sociedade tem que estar alerta e fazer plantão de esforço contra o individualismo egoísta. Este corrói por dentro, inutiliza o trabalho de muitos e fomenta a corrupção na comunidade. Não acredito que possa haver chance de desenvolvimento social ou de promoção pessoal sem honestidade. O nosso sistema econômico é extremamente competitivo e arrasta a descarregar os desejos em tudo que aparente superioridade. "Eu tenho que estar bem. Os outros que se desenrasquem!". "Primeiro eu, eu, eu … e os outros que se danem!" E assim a sociedade se transforma em jaula de leões esfomeados. Os que atingem o poder pensarão só em si e desprezarão o bem comum. E o destino de um povo corrupto é o caos. Sim, porque para haver corrompidos tem que haver corruptores. Se há corrompidos de um lado é porque do outro há pessoas que facilitam, que calam, que querem ser beneficiadas.

 

 

Impressionante o silêncio perante o que está acontecendo em Chapadinha. Incompreensível a calma da Câmara, terrível a passividade da sociedade, injustificável o desinteresse dos partidos políticos, incongruente a inoperância da oposição! O único esforço, bem planejado, atuante e notório é o da atual administração que está dando oportunidades, o máximo de chance para qualquer se colocar como alternativa… pois não se vê o que está fazendo. Esta passividade e incompetência são mais perigosas que os gritos de alerta que se começa a ouvir. Como vamos entrar em Chapadinha e andar pelo interior quando começar a chover? Quem dá responsabilidade e obriga a trabalhar não são os votos do povo, mas a posse aceite com consciência e outorgada por lei, já que estamos em estado de direito.

 

 

Queixava-se Rui Barbosa (1849-1923) num desabafo que parece atual e que resulta sempre em revolta da sociedade e descrédito das autoridades: "de tanto triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantar-se os poderes nas mãos dos maus… o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto".

 

 

 

 

(*) FONTE: in Vida Nova – Boletim Formativo e Informativo da Paróquia de N. S. das Dores – Chapadinha // DIRETOR – Manuel Neves // DIRETOR-Adjunto – Pedro José; N°02 – 24/01/2010, pp.3-4.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Organizações. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s