Há “caça-níqueis e há “caça-verbas”! – Boletim da Paróquia N.S. das Dores (27-12-09)

 

 

 

Há “caça-níqueis” e há “caça-verbas”!

 

 

 

“O olhar da paróquia sobre a realidade tem particularidades específicas: 1) – é um olhar contemplativo, uma análise feita com os olhos na mensagem cristã que nos aponta para o sagrado da história e para a dignidade humana. E com os pés na situação concreta. Deus e o ser humano estão presentes. Eles são para a Igreja o critério mais profundo de toda a averiguação. Deus tem um projeto, quis precisar das pessoas, dá-lhes responsabilidade. Quer uma sociedade humana e humanizante. A Igreja quer ser ativa e ativadora. Não alienante e alienadora.

 

2) – É um olhar comunitário. Somos muitos. Não depende de uma só pessoa, mas de multidões. É eco do pensar de muitos. Procura o bem comum, sem se deixar atolar em interesses próprios. 3) – É um olhar que se refere a Cristo, à sua Mensagem e à pessoa humana; à sua realização pessoal (salvação) e social (desenvolvimento). Não é um olhar desencorajador que leve à acomodação ou à passividade. Não acreditamos no desespero. É vocação nossa abrir as inteligências das pessoas à verdade e devolver à política objetivos éticos sem os quais ela vira mero cinismo pseudo-realista.

 

Nota-se que Chapadinha caiu no fundo do poço. Dizer que tudo está bem, é cinismo. A situação é dramática. A queixa anda na rua generalizada. O Município está abandonado, esquecido, desprezado. Porquê?

 

Fala-se em inadimplência. Casas populares que não foram feitas, ruas não construídas, projetos não acabados, praças esquecidas, obras começadas e paradas há muito… Materiais trocados, pisos de caminhos simplificados demais, poços não abertos… Porquê está acontecendo este abandono e as autoridades a correr constantemente para aqui e para acolá? As estradas do interior estão como ficaram no fim das chuvas do ano passado… Como se vai transitar em 2010? A continuar assim, não queremos que se repita o que aconteceu em anos anteriores: tudo ficou assim mesmo. Não devemos deixar piorar a situação.

 

A Paróquia vai começar uma série de reuniões para discutir esta problemática. E poderemos ir brevemente à rua. Chapadinha exige respeito, merece esforço, pede seriedade na administração. Não adianta intervenções otimistas, esperançosas, enganadoras, alienantes. Mesmo em meios de comunicação social  bem pagos para alienar e a dar chance a outros que fizeram o mesmo e agora se estão aproveitando da má situação”.

 

 

 

(*) FONTE: in Vida Nova – Boletim Formativo e Informativo da Paróquia de N. S. das Dores – Chapadinha // DIRETOR – Manuel Neves // DIRETOR-Adjunto – Pedro José; N°48 – 27/12/2009, p.4.

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Notícias e política. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s