Cronicar sem rumo, belezas escondidas.

 
 

Cronicar sem rumo, belezas escondidas.

 

 

 

[1.] Outubro fabuloso. Este mês tem sido incrível. Muito duro de amar, mas íntegro. Hoje conheci o “Riacho Feio”, fui celebrar na comunidade da Matinha dos Elenos (27ª comunidade visitada por mim neste mês), pela primeira vez. Trajeto de jipe, trajeto a pé, 275 metros (informação dada pelo dirigente da Matinha… como é que ele sabia: – dizem padre que é..) com água pelos joelhos e um pouco acima. Tirei os tênis e as meias; mala a tira colo e lá vou eu dentro de água (Não há jacaré!? Não há sucuri!? Não há piranha!?…). Começo a caminhar com lentidão premeditada e depois consentida. Vem rápido a dor nos pés, primeiro sensitiva, depois incisiva, por último, insuportável… desisto, vou pensando… em cima das tábuas… um dos jovens que me acompanhavam já “treinado”; empresta-me as suas “Havaianas”. Salvo por umas simples havaianas… mais de 10 minutos dentro de água, viagem de ida, pela manhã, e de regresso, pelas 13h30, depois da missa, com sol de ‘estrelar’. Simplesmente espetacular! O corpo no seu máximo! Trajeto de motoca para finalizar. Uma perícia digna de medalha. Pena que as motocas tenham de atravessar o Riacho Feio. É o progresso. Água fria, límpida, cristalina: sem cor; sem cheiro; sem sabor: água em estado puro! Plantas e peixes. O lugar mais bonito que já visitei… as ‘cabeceiras’ ficam para os lados do município de Buriti. Um paraíso perdido e encontrado. Regresso no nosso cúmplice Toyota, o indomável! Ao todo 64 km: o corpo sente, o espírito aprova.

 

 

 

[2.] O texto copiado. Na mesma comunidade uma jovem cantora aparece com um roteiro de cânticos. Palavra puxa frase, e a frase traz uma decisão. – Empresta-me o teu guião: “Canto do Povo de Deus” – Basílica-Santuário Diocesano Nossa Senhora das Dores (2009-2010). “Mãe das Dores, caminho de Paz e Justiça para Cristo” – Juazeiro do Norte – Ceará: Diocese do Crato. Transcrevo o texto copiado no meu caderno de apontamentos.

 

“Os Conselhos do Pe. Cícero[1] para preservar a Mãe Natureza”

01 – Não derrube o mato, nem mesmo um só pé de pau.

02 – Não toque fogo no roçado nem na caatinga.

03 – Não cace mais e deixe os bichos viverem.

04 – Não crie o boi nem bode soltos. Faça cercado e deixe o pasto descansar para se refazer.

05 – Faça uma cisterna no oitão de sua casa para guardar a água da chuva.

06 – Não plante de serra acima, nem faça roçado em ladeira muito em pé, deixe o mato protegendo a terra para que a água não arraste e não se perca a sua riqueza.

07 – Represe os riachos de cem em cem metros, ainda que seja com pedra solta.,

08 – Plante cada dia pelo menos um pé de algaroba, de caju, de sabiá ou de outra árvore qualquer até que o sertão seja uma mata só.

09 – Aprenda a tirar proveito das plantas da caatinga como a maniçoba, a favela e jurema. Elas podem ajudar você a conviver com a seca.

10 – Se o sertanejo obedecer a estes ensinamentos, a seca vai aos poucos se acabando, o gado melhorando e o povo terá sempre o que comer. Mas se não obedecer, dentro de pouco tempo, o sertão vai virar um deserto só.

 

 

 

[3.] Louis-Ferdinand CÉLINE, o antídoto. “Quantas fraquezas! Só podemos contar para nos liberarmos com a força das circunstâncias. Por sorte, ela é enorme, a força das circunstâncias” (p.190). “Não sabemos mais quem despertar, ao envelhecermos, se os vivos ou os mortos” (p.183). “Eu tentava ter uma idéia do nível de impotência a que havia descido, mas não conseguia” (p.188). “Esse otimismo resignado e trágico lhe fazia as vezes de fé e formava o fundo de sua natureza” (p.106). “Somos virgens de Horror como o somos de Volúpia” (p.21). “Positivamente, tudo o que é interessante se passa na sombra” (p.72).

 

 

 

 POR: Pedro José, Chapadinha, 24-10-09; 4048 caracteres (com espaços incluídos).

 

 

 

 

[1] Cícero Romão Batista (Crato, 24 de março de 1844 — Juazeiro do Norte, 20 de julho de 1934) foi um sacerdote católico brasileiro. Na devoção popular é conhecido como Padre Cícero ou Padim Ciço. Li com muito proveito o artigo: NETO, Lira, “O Milagre de Juazeiro Volta a Roma” in Revista Piauí, nº35, Ano 3, Agosto 2009, pp.50-53. O jornalista e escritor prepara biografia sobre o Pe. Cícero, a ser publicada pela Companhia das Letras.
 
Anúncios
Esta entrada foi publicada em Apontamentos. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s