“Ontem” as brigas do costume, “hoje” comi alcaparras frias! OU O credo dos “independentes e que se dizem inteligentes”!

 

 

“Ontem” as brigas do costume, “hoje” comi alcaparras frias!

OU

O credo dos "independentes e que se dizem inteligentes"!

 

Fadiga Universal = Trabalho Honesto Local – "A fadiga é um fato universalmente conhecido, porque universalmente experimentado. Sabem-no os homens que fazem um trabalho braçal, executado por vezes em condições excepcionalmente difíceis; sabem-no os que labutam na agricultura, os quais empregam longas jornadas no cultivar a terra, que por vezes apenas « produz espinhos e abrolhos »; como o sabem também aqueles que trabalham nas minas e nas pedreiras, e igualmente os operários siderúrgicos junto dos seus altos-fornos, e os homens que exercem a atividade no sector da construção civil e em obras de construção em geral, frequentemente em perigo de vida ou de invalidez. Sabem-no bem, ainda, os homens que trabalham agarrados ao «banco» do trabalho intelectual, sabem-no os cientistas, sabem-no os homens sobre cujos ombros pesa a grave responsabilidade de decisões destinadas a ter vasta ressonância no plano social. Sabem-no os médicos e os enfermeiros que velam de dia e de noite junto dos doentes. Sabem-no as mulheres que, por vezes sem um devido reconhecimento por parte da sociedade e até mesmo nalguns casos dos próprios familiares, suportam dia-a-dia as canseiras e a responsabilidade do arranjo da casa e da educação dos filhos. Sim, sabem-no bem todos os homens do trabalho e, uma vez que o trabalho é verdadeiramente uma vocação universal, sabem-no todos os homens sem exceção". (FONTE: N.º 9 da "Laborem Exercens", de João Paulo II)

 

 

“A vida é curta, quebre regras, perdoe rapidamente: após insultar (gratuitamente e com comparações irreais e despropositadas…) pessoas e instituições, que não defendem “os seus princípios”.

Beije lentamente (…será o beijo de S. Judas?): após, nos momentos de fraqueza (tipo pressão de trabalho; doenças de familiares e amigos próximos…); pois o “seu” inimigo ataca sempre duas vezes: quando ele está preparado e quando você não está!

Ame de Verdade, ou então se você não tem amor à Verdade: faça-se ‘Ouvidor Jornalístico, dê origem à guerra, para início de sua carreira nem é mau (…para que esperar pela sabedoria de uma carreira de glórias…a glória é fugaz!); com a ‘sua’ isenção e rigor, que todos já conhecemos, tome o seu próprio partido e parta para cima dos outros. Pois é suficiente apresentar as “versões oficiais e oficiosas”, de ambos os lados do conflito, e ainda fazer aquele “gol” jornalístico; porque na sua análise, você será o primeiro entre os primeiros!

Entre no meio altamente competitivo, – tudo é cultura, tudo é mercado, tudo é consumo, tudo é lucro-dinheiro – por exemplo a programação dum FESTEJO, pode ser o do seu município ou da sua paróquia. Sagrado e profano é tudo a mesma coisa, ou não serão conversíveis? Não pense, diga o que tem engasgado no cérebro!?. A organização de quem ‘está por fora chega’, é mais criativa, está junto ao povão ‘sofredor’. Lembre-se: “Especialista é aquele cara que sabe cada vez mais sobre cada vez menos” ou “Super-especialista é aquele que sabe absolutamente tudo sobre absolutamente nada”. Os padres só estragam a religião! Acreditar em Deus é fácil, mas nos padres é difícil! Não me fiz padre; aceitei este Ministério para Servir a Igreja Fiel ao Evangelho, Inculturada e não escrava dos “modismos dos impérios”.

Ria descontrolavelmente, e nunca pare de sorrir; por mais estranho que seja o motivo. E lembre-se que não há prazer sem riscos. A ausência de riscos é sinal de mediocridade. Beba uma cerveja, duas ou três, ou mais… sempre com a companhia certa, ninguém tem nada com isso. Beber não é nenhum crime! Matar sim, é um crime horrível! Não mate, beba cada vez mais!

Seja contra a discriminação sociológica entre elevador “social” e de “serviço”(vi “isso” em S. Luís, capital do nosso Estado, e é a dura parábola a descobrir aqui entre nós…); mas permita a Corrupção Política Passivamente: pois não pense em mudar o mundo. Um mau emprego, é melhor que um trabalho honesto! Quando você acordar já será tarde e você estará aposentado! Goze a vida!

“Deixa a vida me levar, vida leva eu…”(!?), como diz o sucesso musical efêmero. No fundo, bem no fundo, a vida pode não ser a FESTA (no caso Festejo “estragado”, não tem nem ladrão!? Como é possível dizer barbaridades (in)conscientemente!? Sempre… por um padre “chefe” (“chefe” como?… a Igreja não é exercito para recalcados e insatisfeitos na sua libido, minha está sublimada de modo integrador, dia-a-dia…) “português, exigente e autoritário”, que já nos cansou!?… Aqui não é questão para desafetos, para a falsa amizade tipo puxa-saco; é questão de Justiça e Integralidade, de Ética e Projeto (em) COMUM. A sua ação é uma (trans)inspiração! Sua visão um dom! “Sem saberem se benzer…, não queiram agora ensinar o Pai Nosso ao Vigário”! Festejo com limitações? Muitas. Festejo sem rumo? Nunca o seu RUMO esteve na direção certa como agora. Mas dizer que o Festejo está acabar, vai acabar…; com a panacéia do Turismo sem Trabalho; sem infra-estrutura, com uma definição cultural feita de papel…. vamos mais devagar! Haja respeito e humildade. Por favor, não tecle no computador…, Não fale ao micro; ponha as mãos à obra e ajude-nos. O Festejo é da Santa Padroeira; não é, primeiramente, de programas turísticos-culturais em “fim de estação”.

Que “nós” os “independentes e inteligentes” (ou seja, aos outros a possibilidade de ser “dependentes e ignorantes”, graças ao grito da nossa estupidez cidadã!?) a FESTA, que esperávamos e merecíamos, se não for do nosso “gosto”; uma vez que estamos aqui, temos que comemorar!!! Aprecie com moderação!!! Caia na FOLIA!!! Amanhã é tarde de mais!!! Ou então afiamos a Língua!!!

Sucesso só vem depois de Trabalho, no dicionário não na vida sim, e isto não soa a lugar comum. O I.D.H. tem a haver, não só mas sobretudo, com leitura, pontualidade e rigor matemático (por exemplo, prestação de contas dos recursos públicos). – Não há aquele negócio da minha cultura ser melhor do que a tua! No Nosso FESTEJO de 2009 houve seriedade e promoção das pessoas, ritos e tradições, na defesa dos direitos humanos e divinos (para quem se reconhece no seu Deus e na sua Igreja…falo das presenças efetivas claro), que apenas não crescem em número, mas se desenvolvem em qualidade. Este foi sem dúvida o MELHOR de todos os Festejos de N. Senhora das Dores, – para mim que só participei, nos últimos oito anos, este é o meu pecado e por isso peço compreensão! Referências são as festas da cerveja!? Em que parâmetros? O que mal sucede na Paulica!? Como ser completamente irresponsável? Melhor seria a “Festa da Mandioca” que foi esquecida e desmantelada por políticos sem visão.

Brigas haverá sempre; agora o que “irrita” são os ressentimentos desleais e acríticos: criando polêmicas e fatos jornalísticos, onde não há substância e sobra muito tempero ácido… Pobres haverá sempre, reportamo-nos à sentença profética, ainda que misteriosa, na boca do Mestre dos Mestres. As alcaparras? Haverá sempre alcaparras? As minhas hoje comi-as frias, tal como textos em vários blogs e autores, minoria das minorias, inexpressiva mas com TOTAL direito ao equívoco e até ao erro; programas de IBOPE dependente em rádio sem alma; fuxicos sórdidos de rua e arruaceiros, ETC; MAS não os(as) recomendo(as) quentes; só talvez com uma cerveja gelada, numa confraria de amigos(as) verdadeiros(as); ao princípio da noite, sem interesses “comerciais” e fins “apolíticos”.

Quanto a este pretenso credo “liquido”, por franca expansão, uns afirmam ser “inteligentes e que se dizem independentes”, mas no fundo da sua independência, estão naufragando numa inteligência de “ilha solitária”… pois no convívio fraterno que Chapadinha me doa, todos os dias, sou tão dependente da Comida, da sua História esquecida, do Afeto, das Cores e Cheiros, da Justiça nesta terra, como d’Água e Ar saudável, – não zoada infernal e ilegal, ambas no caso… – que já estou evoluindo para uma inteligência cada vez mais plural, isto é, dialógica, não sectária! Por este debate de idéias, benditos, sejam todos os néscios, ignorantes, incompetentes, como eu próprio, quando não reconheço meus erros e não perdôo o “cisco” no olho do irmão porque a minha “trave” impossibilita a visão.

Não consigo amar esta terra mais do que ninguém; sou alguém bem acolhido como estrangeiro; não sou arrogante mas eterno aprendiz; já fui adotado aqui como irmão de “criação”, por isso e não obrigado, fiz a opção livre e libertadora pelos pobres; sou, também, recentemente, mais um eleitor adepto da “ficha limpa” [Título de Eleitor – inscrição 06733139 1147 – 042 – 0176]; não estou nem estarei à venda: As coisas têm preço, as pessoas dignidade!

Viva o trabalho, depois o ócio criativo (fui ao Parque e estava ótimo com menos cerveja e menos prostituição; fui ao Mercado/Feira de rua e estava ótimo com mais ordem e mais diversidade)!

 

Viva a auto-estima, cuidado com o auto-engano!

Chapadinha exporta uma e é deficitária do outro! Decida Você!?

E Viva Nossa Senhora, Nossa Mãe, que se sente bem mais Alegre

pelos seus filhos sem Dores!

 

 

POR: Pedro José, Chapadinha, 19-09-2009. 8980 caracteres (com espaços incluídos).

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Organizações. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s