Os mal-entendidos governam a Vida?

 

 

Os mal-entendidos governam a Vida?

 

[Comentário: XII Dom  Tempo Comum. Ano – B: 21-06-2009]

 

Ler: Mc 4,35-41

 

 

Disposição 1.   Deus revela-se subtil (grácil). Decisiva é a nossa postura de apreciação diante das imagens e situações que a Vida nos oferece. Seria ainda mais decisiva a nossa capacidade de “desidentificação” em relação a medos, emoções, feridas e outras coisas parecidas.

 

 

Disposição 2.   A desidentificação – isto é, eu não sou “isso-aí”; ou ainda, eu não sou-apenas/exclusivamente “isso-aí” – das nossas opiniões, prisões e violências (feitas ou sofridas) liberta-nos para desfrutarmos maior qualidade de vida. É fecundo descodificar as emoções, as opiniões, os caprichos, os pensamentos (nocivos) e as situações (disfuncionais) com a tempestade sobre os mares do mundo (cfr. Mc 4,37 (…) ventania muito forte… ondas… barco naufragando… alerta amarelo… alerta máximo).

 

 

Disposição 3.   O Evangelho da Resiliência (sendo moderno q.b. …esqueci onde aprendi isso, porém se minha memória é útil foi em alguma fonte credível) convida-nos a suportarmos “essa tempestade” até que tenha passado. Quanto menos nos identificarmos com ela, menos força ela vai desenvolver. Nem irresponsabilidade, nem vitimismo, apenas distanciamento moderado. Isso requer e significa não perder a aptidão para sentir com, sentir através de. Existe em nós um “núcleo duro” (…interioridade…) que não é tocado por nada, nem ondas, nem tempestades, nem despojos.

 

 

Disposição 4.   Não somos mais prisioneiros ou guardiões de nossas emoções. Elas não nos afogam mais. Elas mudam… seguem o percurso… transformam-se. A tranqüilidade toma conta (cfr. Mc 4, 38-39… Jesus dorme… ordena “Silêncio!” …e houve grande bonança). Para finalizar uma reconsideração. Existe o perigo de uma nova identificação com o estado-de-calma. Em passos subsequentes (ou mesmo consequentes) é necessário, novamente, largá-los para trás ou para a frente. Exercite a sua mente espiritual. As tempestades não derrubam a pessoa interior, purificam-na.

 

 P.S. “Um padre é um homem que sabe explicar aos outros o que ele próprio não entende” [Ano Sacerdotal – Entre Aspas, nº01]. 

 

 

FONTE: Cfr. JÄGER, Willigis, A onda é o mar: Espiritualidade mística, Editora Vozes, Petrópolis, 2009, pp.284-85.

 POR: por Pedro José, Chapadinha, 20-06-2009. Caracteres (espaço incluídos): 2028.

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Espiritualidade. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s