Carne Viva – por Ernesto Guerra da Cal (na Festa de Corpus Christi…: 11-06-09)

 

 

 

(na Festa de Corpus Christi…)

 

[A.L.: À Maria Cristina: “recado”recebido…]

 

Carne Viva(*)

 

 

       Não tenhas nunca medo

do teu corpo

       Irmão

porque ele não é teu inimigo

       Apesar de que o velho Catecismo

(do novo não sei nada!)

       o agrupava

sob o nome de Carne – sedutor!

       com Mundo e com Demónio

em trio de póquer

       no jogo tentador

da Salvação

       e a Perdição

 

 

       Insisto!

Não tenhas nunca medo

       do teu Corpo

que é teu irmão

       asno leal

Porque sendo mortal

       como ele é

é obra de Deus

       e como tal é boa

É feito à sua imagem

       na sua única Forma

de duas faces

       da condição humana:

que são a masculina e feminina

       (Convém não esquecer

que Deus – que tem que ser

       hermafrodita –

é metade Mulher)

       E que ambas

essas encarnações

       do Seu desígnio

foram por Ele imaginadas

       para o Amor

       para o Desejo

       para a União

Com o intuito

       de que se realizassem

no nosso Corpo

       que é o de Deus

Nosso Senhor

       da Eucaristia

Custódia da nossa Alma

       “Corpus Domini nostri…”

(que lindo e que sagrado era o latim!)

       da antiga liturgia

 

 

(*) FONTE: ERNESTO GUERRA DA CAL in Futuro Imemorial (Manual de Velhice para Principiantes), Livraria Sá da Costa Editora, Lisboa, 1985, pp.108-109.

 

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Poesia. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s