Carta Aberta Sobre o Carnaval 2009 em Chapadinha

 

Carta Aberta Sobre o Carnaval 2009

em Chapadinha

 

 

(sujeita a correções e alterações)

 

 

Na sua opinião, qual é o maior defeito do “maior” Carnaval

de todos os tempos em Chapadinha? Algumas hipóteses…

 

 

1. Ser um carnaval pão-duro: – Só ter desde a praça da Bíblia, depois do box da Polícia (!?), em frente ao Banco do Brasil, até à entrada do corredor da folia, salvo erro na contagem, 18 postes com luminárias apropriadas, perfurando, também, o chão do novo calçamento, que será posteriormente arranjado…] é ser Pão DURO… será a crise mundial? “A prefeita, Danúbia Carneiro, reuniu-se com a comissão organizadora do carnaval para definir a programação oficial da folia de Momo deste ano”. Na programação oficial em 5 dias de inesquecível folia estarão previstas (sem contar com a possibilidade de chuva…) a presença de mais 18 atuações de Bandas, não contamos as bandas-blocos locais, do Ceará “Banda Superid”; da Bahia “Banda Me Beija”, do Piauí “Banda Pilera”; da capital S. Luís “Banda Black Samba”; de Pernambuco “Banda Garota Safada”; neste caso os alunos mais desfavorecidos, pela rede pública, nas aulas de Geografia e História podem revisar inteiramente todas as matérias (no mínimos dos mínimos…)… é ser pão duro… colocamos à futura “Comissão Desorganizadora” a hipótese prática de não encerrar a programação às 3h00 da madrugada, mas prolongar pelo menos até às 5H00, quem está “quente” fará o sacrifício gostoso de agüentar “a peteca” por mais duas tonificantes horas. Pão duro mesmo são os BLOCOS, tadinhos… por exemplo, o BCC o preço do ABADA é só de R$100,00!!!; o Agitus, o mais novo e que já chega com 2000 abadas o preço é de R$ 20,00 e ainda tem o bloco da Terceira Idade, entre outros. Tá barato de mais…No tempo de carnaval o preço não poder ser só R$120,00, tem de haver multas para os descuidados, sigam as regras e penalizações do IPVA (ups que ainda não paguei o meu…). Quer ser rico em dois tempos: 1ºfaça nascer a idéia de um Bloco brega q.b. estilo modern entretanto, contrate uma banda de axé, forró…, tenha um amigo bem colocado no meio e venda no primeiro ano 1.000 abadas, no segundo 3.000, no terceiro ano, você já pode estar tranqüilamente aposentado. E o que dizer do “pão-duro”, melhor da LEI-SECA, no carnaval de Chapadinha, nem o novo bafômetro digital, que brevemente chegará de Portugalete (cuidado…é uma nobre vila de um município da província de Vizcaya, País Basco, Espanha. Não haja confusões que são sempre entendidas como acusações…) será que ele vai resistir ao uso excessivo. Só no, já famoso e disputado, “CORREDOR DA FOLIA” – […aqui encontramos os 21 camarotes; no espaço adequado: 12 banheiros-sanitários de cor laranja, também os há de cor azul, em menor número, salvo erro, desde o ponto de partida até à concentração, fisiologicamente distribuídos…] encontramos em plena “Lei-seca”, dizíamos, apenas 18 barracas da Nova Schin, salvo erro, e ficamos a saber que, citamos, “no corredor só será vendida a cerveja Nova Schin, que fechou uma parceria com a prefeitura”. Praça Coronel Luis Vieira, Praça da Bíblia, todos os bares da cidade, clubes, casas de shows, churrascarias, restaurantes, bem como o percurso dos blocos existentes na cidade” (Fonte: cfr. http://tvmirante.blogspot.com/). Registramos por último, que no nosso Carnaval, para “além do investimento da própria prefeitura, (…) terá o apoio do Governo do Estado […que Estado Pão-DURO… só se lembra dos pobres do IDH em tempo de Carnaval…assim não dá mesmo…], por meio da Secretaria de Estado da Cultura, que este ano incluiu o Município no “consórcio do Carnaval da Maranhensidade”, que visa valorizar a cultura regional. -Irei ser mais breve!

 

2. Ser um carnaval de mentira: – Faz parte de uma sociedade injusta abafar a dor de suas vítimas. Vamos curtir a vida e seus prazeres, o amanhã não existe. “Jackson derruba Sarney; Sarney derrubará Jackson” (?). Vamos tomar é muita cerveja, cachaça e depois haverá o “ENGOV” (ressaca-enxaqueca-enjoo); o “Vista-se” (Use sempre camisinha) e a recém inaugurada Farmácia Popular não terá disponível, até mais do que um tipo, com receita médica, o anticoncepcional feminino ou a pílula do dia seguinte? Se não tiver haverá discriminação sexual.

 

3. Ser um carnaval arrogante: – Quem crítica é porque tem ressentimento e é complexado. É um “alterado” e não percebe a utilidade de ter um carro de som. Não é arrogância, é mesmo má criação. É estupidez! Má educação! Ter um carro de som bem equipado é um Serviço de Utilidade Pública. Brevemente, todos estaremos surdos e aos tiros!!!

 

4. Ser um carnaval falso para com as pessoas dizia Ernesto Cardenal, "o povo não consome a cultura; antes, ele a cria". Não criamos do nada, do nada só Deus tira a sua criação. Nós criamos dentro duma Tradição, desmantelando a tradição do Carnaval o que fica. Um carnaval sem tradição o que é? Há deliberadamente uma falsa propaganda no carnaval de Chapadinha “os Internautas” escrevem sobre “Mensalinho” (naturalmente não se referem aos R$ 3.000.00, parcela única, que a Prefeitura deu para a realização do 13º Arca da Aliança, retiro de evangelização no CAIC, pois a Paróquia deverá prestar contas de tudo sem notas frias…) e do Sistema “Mentirante” a sócia não grata da “Mirante”.

 

5. Ser um carnaval desonesto: – “Há quatro tipos de temperamento: 1) o que se zanga com facilidade, e se acalma com facilidade: os ganhos são anulados pelas perdas; 2) o que se zanga com dificuldade, e se acalma com dificuldade: as perdas são anuladas pelos ganhos; 3) o que se zanga com dificuldade, e se acalma com facilidade: é o ser humano bom; 4) o que se zanga com facilidade, e se acalma com dificuldade: é o ser humano mau” (cfr. Tratado de Mishna judaica – http://mesadepalavras.wordpress.com/, 14-02-09). Quem tem ouvidos, ouça! Quem tem olhos, veja! E quem tem mãos não roube, nem apalpe mais!?

 

6. Ser um carnaval onde o “Oscar” vai para o “mais-mal-vestido”: Será que todas as religiões “matam” ou “morrem” pelo Corpo. O corpo é mal visto. O corpo é mal querido, é amaldiçoado, é ocasião de queda e perdição. Logo tirar a roupa é tirar a vergonha!? Corpos de silicone, malhados e saturados à exaustão; corpos frenéticos, sensuais e eróticos. Corpos profundamente mal vestidos. O “Oscar-para-o-mais-mal-vestido”, a maior invenção do carnaval de 2009 em Chapadinha, será entregue ao Rei Momo, sua Rainha e Sua Princesa, todos e todas, sem/com roupa, respectivamente, seriam muito mais “bonitos e sarados”.

 

7. Ser um carnaval bobo: – Quem é bobo fica em casa e não põe o pé no chão! Deixa rolar bobo! Muita curtição às 9H00, às 13H45; às 20H00 (de preferência no horário da missa… Deus é brasileiro, ele fez o carnaval ao oitavo dia para os que deixaram o Paraíso insatisfeitos!?!?). Depois durante toda a Noite…sem parar… pelas 2H13 vamos ao sanitário… tomamos fôlego e voltamos ao Corredor da FOLIA…. a correr para onde?! Os membros do C.M.D.C.A. e do Conselho Tutelar não são “bobos” nem seu trabalho é “bobeira”. É coisa muito séria!

 

8. Ser um carnaval puxa-saco (cfr. Macaco Simão) – Um carnaval desmancha prazeres é quem pergunta: A pergunta a fazer não é só quanto custa tudo isto? Mas, sobretudo, quanto nos – a nós CIDADÃOS – custa tudo ISTO na dimensão econômica, moral, educativa, cultural, social, etc.? Pela extensa programação será que a política do “Pão e Circo” não vai ser afetada pela crise mundial? Ficamos só com a política do “Circo”? Em Chapadinha não chegará a Crise, pois nós já estamos em Crise há muito tempo… ”Só a Educação pode salvar o Brasil” (Cristóvam Buarque). O IIº Fórum de Educação do Baixo Parnaíba, contando com a participação de 465 educadores(as) de 12 municípios maranhenses deixou-nos uma esperança real!

 

9. Ser um carnaval preguiçoso: – Há quem defende que a preguiça não deveria ser pecado capital, quem assim fala já está naturalmente e estruturalmente aposentado-de-outros-carnavais.

 

10. Ser um carnaval fofoqueiro: – por exemplo virtual “…medida acertada, liberou a praça para o carnaval, antes proibida pelo Pe. Neves, botou R$ 20.000.00 em sua conta e ele se mandou para Portugal, bom seria que por lá ficasse, Chapadinha agradeceria muito”. Quase sem erros “tortográficos”… Não há lugar a exílio, mas a presença de boca ‘suja’; coração ‘sórdido’; e mente ‘maquiavélica’. – É meus caros Amigos: cada um tem o que merece; cada povo tem os governantes que merece (e se não fosse a Justiça Eleitoral ainda seria bem pior a tragicomédia em representação grudada da nossa pseudo-administração atual…).

 

11. Ser um folião e não ter uma religião (o carnaval é a “sua religião”, uma vez no ano para não cansar muito…sempre vou lá!?) – Em tempo de globalização, Londres disse: “Provavelmente Deus não existe. Deixa de te preocupar e goza a vida”. À provocação atéia, Madrid, respondeu “Deus existe. Goza a vida em Cristo”. Entretanto desde o carnaval da Bahia a canção “Noites Traiçoeiras” oficializou a “nova era da liturgia pagã”. Por cá em Chapadinha “Deus existe. Mas ninguém O respeita!”

 

* * *        * * *         * * *

 

Para que não fique uma má impressão! Eu gosto de Carnaval! Não adoro o Carnaval. Apenas gosto intensamente! A minha receita é simples e barata. Minha “fantasia” este ano é um “fez” ou “cofió” (chapéu islâmico), vou usá-lo, ecumenicamente, com moderação! Bedidas: só cerveja Guiness, a coca-cola dos irlandeses! No meu “carro de som” só ouço, neste carnaval, Radiohead ou Mozart, entenda-se o estilo mais futurista ou menos requiem… Finalmente, o meu samba-enredo seria composto e baseado no poema “Carta aos Puros” – do nosso poeta Vinícius de Morais (1913-1980), por mim está perdoado, não é traição que ele tenha publicamente abandonado a sua fé, lido em Chapadinha, o poeta sentiria estar na sua própria casa. Sou radical, não fundamentalista! Sou pelo debate de idéias, não pela imposição das mesmas! Fica este pequeno contributo, irônico não ácido, construtivo não destrutivo. "Ridendo castigat mores", com as possíveis propostas alternativas, que as há sem dúvida alguma. Basta fazer acontecer!

Eis a “Carta aos Puros” (os negritos são da minha autoria, como sugestão para nomes/categorias de Blocos Chapadinenheses… no fundo enredos de sucesso já garantido, não em termos comerciais…).
 
Ó vós, homens sem sol, que vos dizeis os Puros
E em cujos olhos queima um lento fogo frio
Vós de nervos de nylon e de músculos duros
Capazes de não rir durante anos a fio.
 
Ó vós, homens sem sal, em cujos corpos tensos
Corre um sangue incolor, da cor alva dos lírios
Vós que almejais na carne o estigma dos martírios
E desejais ser fuzilados sem o lenço.
 
Ó vós, homens iluminados a néon
Seres extraordinariamente rarefeitos
Vós que vos bem amais e vos julgais perfeitos
E vos ciliciais à idéia do que é bom.
 
Ó vós, a quem os bons amam chamar de os Puros
E vos julgais os portadores da verdade
Quando nada mais sois, à luz da realidade,
Que os súcubos dos sentimentos mais escuros.
 
Ó vós que só viveis nos vórtices da morte
E vos enclausurais no instinto que vos ceva
Vós que vedes na luz o antônimo da treva
E acreditais que o amor é o túmulo do forte.
 
Ó vós que pedis pouco à vida que dá muito
E erigis a esperança em bandeira aguerrida
Sem saber que a esperança é um simples dom da vida
E tanto mais porque é um dom público e gratuito.
 
Ó vós que vos negais à escuridão dos bares
Onde o homem que ama oculta o seu segredo
Vós que viveis a mastigar os maxilares
E temeis a mulher e a noite, e dormis cedo.
 
Ó vós, os curiais; ó vós, os ressentidos
Que tudo equacionais em termos de conflito
E não sabeis pedir sem ter recurso ao grito
E não sabeis vencer se não houver vencidos.
 
Ó vós que vos comprais com a esmola feita aos pobres
Que vos dão Deus de graça em troca de alguns restos
E maiusculizais os sentimentos nobres
E gostais de dizer que sois homens honestos.
 
Ó vós, falsos Catões, chichibéus de mulheres
Que só articulais para emitir conceitos
E pensais que o credor tem todos os direitos
E o pobre devedor tem todos os deveres.
 
Ó vós que desprezais a mulher e o poeta
Em nome de vossa vã sabedoria
Vós que tudo comeis mas viveis de dieta
E achais que o bem do alheio é a melhor iguaria.
 
Ó vós, homens da sigla; ó vós, homens da cifra
Falsos chimangos, calabares, sinecuros
Tende cuidado porque a Esfinge vos decifra…
E eis que é chegada a vez dos verdadeiros puros.
 
(*Fonte: MORAES, Vinicius, Nova Antologia Poética, Companhia de Bolso – Letras, 2005, pp.201-202).

 

 

 

Para mim, uma das maiores poesias já feitas…

A carnaval de consumo: bandas, blocos, abadas, cerveja e muita folia, etc, etc…uma alegria já gasta ao nascer. Ou um carnaval alternativo a re-fazer: em desfiles com arte, danças que são apresentações folclóricas e, acima de tudo a Verdadeira Alegria.

 

Chapadinha – MA, Dia de Carnaval: 24 de Fevereiro 2009.

 

AUTOR: Pedro José, Chapadinha, 24-02-2009.

12.680 caracteres (com espaços incluídos).

 

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Saúde e bem-estar. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s