Manifesto das Famílias – Chapadinha 19-08-07

 

 

 MANIFESTO DAS FAMÍLIAS – 2007

 

Ao terminar nossa caminhada que culmina uma semana de reflexão com reuniões, em todos os cantos de nossa cidade, queremos:

[a’] – Louvar a Deus pelo trabalho realizado e congratularmo-nos pelo esforço e dedicação de muitos casais, agentes da pastoral familiar.

[a’’] – Anunciar com satisfação um crescente interesse e uma mais consciente participação das famílias que acorreram em grande número aos encontros realizados no decorrer desta Semana Nacional da Família.

[a’’’] – Sentimos, no ambiente em geral, um despertar pela importância dos valores morais e uma grande preocupação pelo incentivo à bebedeira, e um aumento exagerado de máquinas de diversão que incentivam ao vício.

Mas queremos também denunciar situações graves faladas em nossas reuniões e que devem merecer a atenção de todos, mas sobretudo das pessoas que estão investidas em autoridade.

[1º] – Há, em nossa cidade, um ambiente festeiro em demasia e sem controle que aliena e desnorteia, sobretudo, a juventude, cria instabilidade nas famílias desmotivando os nossos filhos para tudo que exija um pouco de esforço.

[2º] – Desde o curso básico até à Universidade, passando pelos encontros de catequese, há um notório desinteresse por tudo e isto incentiva à procura de vícios compensatórios. Assusta a facilidade com que se pratica a prostituição infantil, a prática e a justificação da bebedeira que destrói famílias e arruína a saúde de muitos pais e jovens.

O lucro econômico e o aproveitamento oportunista de alguns não justifica o desmoronamento moral de tantos e a crescente problemática de nossas famílias que estão sofrendo em exagero.

[3º] – A libertinagem reinante destrói famílias e a insegurança criada com roubos e com assaltos (já à mão armada!), atemoriza os pais responsáveis, perverte a juventude e desmotiva o compromisso com a vida.

[4º] – Achamos exagerada a falta de autoridade pública na nossa cidade. Em fins de semana reina a desordem. Exigimos a presença das autoridades na cidade e a sua dedicação constante ao bem público.

[5º] – Falta Saúde no nosso Município. Não compreendemos como nossos estabelecimentos de saúde estão tão desprovidos de tudo.

[6º] – O trânsito está um caos. Morre-se demais em acidentes de trânsito entre nós. Exigimos mais ordem e respeito pela vida nas estradas. Há muitas famílias enlutadas pelo exagero de bebidas e pelo pouco respeito pela vida e pelas leis de trânsito.

[7º] -Assusta a facilidade com que se pratica o aborto e não parece justificável tanta demora na aplicação da lei aos delinqüentes nesta matéria.

 

FONTE: Manifesto proclamado no fim da Caminhada pela Família 2007, no dia 19 Agosto 2007, na Paróquia Nossa Senhora das Dores, por ocasião do encerramento da Semana Nacional da Família, na Diocese de Brejo, Nordeste V, Brasil.

Redactor Final: Pe. Manuel Neves, Assessor diocesano

responsável pela Família na Diocese de Brejo.

 

  

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Espiritualidade. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s