Liderança & Espiritualidade

            

Liderança & Espiritualidade

             37 dicas – Parte I, II, III e IV.

    

Parte I

 

[1.] – A liderança Eficaz começa em NÓS Mesmos – “Deixai-os: são cegos e guias de cegos. E, se um cego guia outro cego, os dois cairão num buraco” (Mt 15,14).

 

[2.] – Líderes: “somos o que pensamos”? – O velho ditado ainda é verdadeiro, mas a mudança real no comportamento, afinal, requer transformação do coração. É lá que está a essência (o DNA) de sua identidade. “Onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração” (Mt 6,21; Lc 12,34).

 

[3.] – A liderança e caráter – A mensagem central de Jesus é sobre mudança de caráter. Jesus está interessado em nos tornarmos pessoas diferentes, não apenas em agirmos de maneira diferente. Por exemplo, em vez de nos pedir que façamos coisas boas, ele quer que nos tornemos pessoas boas.

 

[4.] – Dois tipos de líderes – Os que são líderes acima de tudo [Tipo A] e os que são servos acima de tudo [Tipo B].

 

[5.] – Líderes acima de tudo [Tipo A]São, muitas vezes, os naturalmente tentam controlar, tomar decisões, dar ordens. São “levados” a liderar – querem estar no poder. Não gostam de feedback (retorno) porque o vêem como ameaça à sua posição, que é exatamente o que mais querem manter.

 

[6.] – Líderes servos acima de tudo [Tipo B]Esses assumirão a liderança apenas se entenderem que ela é o melhor caminho para que possam servir. São “chamados”, e não “levados”, a liderar porque querem ser naturalmente úteis. Não são possessivos em relação à sua posição de liderança; consideram-na ato de gestão (administração) e não de domínio. Se alguém presente parece liderar melhor, estão dispostos a se associar àquela pessoa, ou mesmo a sair de cena em busca de outra função para si mesmos, onde possam melhor servir. Não têm necessidade de se agarrar à posição ou função de líder se esta não lhes faz sentido do ponto de vista de servir.

 

[7.] – A liderança: espiritualidade do serviço – Certa vez, Jesus enviou uma mensagem bastante clara sobre a natureza do líder, que seus seguidores deveriam ser. Tiago e João estavam «brigando» por uma relação/posição especial de liderança entre seus discípulos. Jesus aproveitou a oportunidade para ensinar algo fundamental. Primeiro mostrou a maneira arrogante na qual os governantes incrédulos exerciam poder sobre os outros. Então disse: “Não será assim entre vós; ao contrário, quem quiser entre vós ser grande, que se faça vosso servidor, e quem quiser ser o primeiro, que se faça vosso escravo (servo)” (Mc 10, 43-44). A liderança vem de dentro, nasce da espiritualidade de um coração servil.

 

[8.] – O líder completo – Usa e sabe usar, pela tentativa e pelo erro: a cabeça (parte intelectual: pensar); o coração (parte emocional: sentir) e as mãos/pés (parte comportamental: realizar e fazer). Nenhum das partes pode ficar isolada. A cabeça sozinha é insuficiente, acreditar só nas idéias não chega. Só coração cria dependências/agrados/”puxa-sacos”, no final, não servem às pessoas, mas fazem com que os sirvam. Só mãos/pés corremos o risco da eficácia (só fazer por fazer…) e não atingimos a eficiência (fazer e fazer bem feito…MAIS com MENOS).

 

[9.] – Sinal de resultados responsáveis – O mais importante em ser líder não é o que acontece quando se está presente; é o que acontece na sua ausência. O verdadeiro teste é o que as pessoas fazem quando estão sozinhas.

      

   

Parte II

 

  [10.] Tipologia” do Líder Negativo que nega a espiritualidade do serviço: Vamos conhecer mais nossas fraquezas/limitações para amar mais e melhor.

 

[11.] o belicoso – Compra briga, discussões bobas por qualquer motivo. É agressivo, ofende com facilidade. Vive confuso e não se entende a si mesmo. Lema: “O picolé é só meu…”

 

[12.] o sabe-tudo – Tenta intervir a toda a hora sem respeitar as opiniões já expressas. Geralmente é o primeiro a dar sua opinião, porém sem reflexão nem fundamento. O sabe-tudo é conhecido como fala-barato. Quer impor suas ideias e opiniões. Acha que não precisa aprender como os outros. Não sabe ouvir o outro. Quer audiência perto de si.

 

[13.] o falante – Conversa muito, com repetições enjoativas e juízos pessoais sem fundamento. A sua sabedoria é saber as “fofocas” antes de todo o mundo… É perito em conversas paralelas. Não presta atenção no que os outros dizem.

 

[14.] o acanhado – Tem medo de tomar uma posição. Tem medo de intervir, de expressar a sua opinião. Tem idéias boas, mas omite. É reflexivo e ponderado mas tem receio de expressar-se, reclamar seus direitos… porque tem medo de errar e da reação dos outros. Está preocupado com a sua imagem.

 

[15.] o que não colabora, não aceita – Geralmente tem bastante conhecimento e experiência, mas não partilha com os outros porque não admite que outros tenham o mesmo conhecimento e experiência. Só ele tem preparo para dirigir e sabe como é certo. É ambicioso.

 

[16.] o desinteressado – Vive absorto – concentrado – em seu mundo e em suias atividades, dando-lhes grande valor. Valoriza suas idéias e atividades, nada fora de si tem real importância.

 

[17.] o desdenhoso – “Está por cima”, pensa que é mais do que os outros e, por isso menospreza. Subestima as suas qualidades das pessoas e superestima as suas. Mas geralmente não expressa esta sua convicção, por isso tem atitudes orgulhosas, elevadas.

 

[18.] o distraído – Vive no mundo da lua. Não tem consciência de onde está pisando, nem o quer da vida. Vai levando e “empurrando a vida com a barriga”.

 

[19.] o detalhista – Enrola-se em pequenas coisas e em detalhes. Não permite que as pessoas caminhem mais e melhor. Parou na vida… não investe alto com a sua vida e tem medo de arriscar, de se lançar.

 

[20.] o folgadão – Gosta de tudo pronto e mastigado. Não luta por nada na vida. Reclama quando não ganha as coisas prontas e “na boca”. Está presente com o corpo, a cabeça, voando e, geralmente, longe. Seu lema é “vim para ser servido”.

 

[21.] a vítima – Primeiro se rejeita, depois fala com todo o mundo que os outros o rejeitam. Dá espaço para alguém, depois reclama que não deram atenção a ele. Sua bandeira é “ninguém me ama, ninguém gosta de mim”.

 

[22.] o egocêntrico – Só gosta de si mesmo. Fica preocupado em não errar. Fecha-se dentro de si mesmo, só pensando em coisas próprias. Seu mundo é ele mesmo. Tem uma exagerada imagem de si mesmo.

 

[23.] o triste – Gosta da tristeza e da apatia e de sofrer. Seu lema é “proibido vibrar e ser alegre” Em tudo o que faz procura atenção. Sente muita carência afetiva. Para ela, “quanto pior, melhor”.

 

[24.] o comerciante – Só ajuda quando há troca. Faz da comunidade um negócio a render, a salvação é saldo garantido… Dá e pede de volta. Tem dificuldade de contribuir, dar, repartir e dividir. Sua frase-força é “toma lá, da cá”.

 

[25.] o valentão – Quer controlar as pessoas na base do grito, da rispidez, do olhar agressivo… tem poder-força e não poder-autoridade. Faz o mundo ter medo dele. Ganha as coisas na base do grito ou de palmas/aplausos de “puxa-sacos profissionais”

 

[26.] o olheiro – Não fala, não participa. Só fica olhando de longe. É difícil saber qual é a dele. É uma presença misteriosa na comunidade, nos grupos. É difícil saber o que se passa em sua cabeça. Lema: “Não tenho inimigos, tenho interesses”.

 

Parte III

 

[27.] – Os apontamentos e sentido de observar do LÍDER com um OLHAR ESPIRITUAL

Os especialistas aconselham apontamentos e observações; a fazer até listas. A escrever pequenos textos de ajuda, planejamento, lembretes, reflexão, pesquisa, etc. A ONDE podemos recorrer quando for NECESSÁRIO. Alguns exemplos:

 

[28.] Aquilo de que mais gosto naqueles que são importantes para mim – As qualidades que reconhecemos nos outros muitas vezes devolvem as nossas próprias qualidades ou a nossa aspiração a melhorar certos aspectos da nossa personalidade.

 

[29.] O que eu levo de positivo às relações com os outros – Apesar das nossas imperfeições e defeitos, todos damos qualquer coisa especial aos outros. Importa identificar o quê.

 

[30.] Tudo aquilo que gostava de agradecer – A gratidão é um sentimento poderoso e transformador. Potencia a felicidade na medida em que também é uma atitude positiva e regeneradora. Evita as ruminações e os sentimos depressivos.

 

[31.] Todos os desafios que venci ao longo do ano – Sem fazer comparações com os outros, sem falsas modéstias e, acima de tudo, com realismo e objetividade. Esta lista surpreende-nos sempre.

 

[32.] Os erros que não posso voltar a cometer – Os erros são excelentes lições, na medida em que mostram os caminhos que não devemos seguir e os comportamentos que devemos evitar. Essencial, portanto.

 

[33.] As coisas que me provocam mais stress no dia-a-dia – Para manter uma atitude positiva é importante conhecer os nossos ‘inimigos’. Identificar os motivos de stress ajuda incrivelmente a reduzi-los ou atenuá-los.

 

Parte IV

 

[34.] HISTÓRIA nº1

«CONTA CORRENTE»

 

Imagine que você tenha uma conta corrente e a cada manhã acorde com um saldo de R$ 86.400,00.

Só que não é permitido transferir o saldo para o dia seguinte.

Todas as noites o seu saldo é zerado, mesmo que você não tenha conseguido gastá-lo durante o dia. O que você faz???

Você iria gastar cada centavo é claro!

Todos nós somos clientes deste banco que estamos falando.

Chama-se "TEMPO". Todas as manhãs, é creditado para cada um 86.400 segundos. Todas as noites o saldo é debitado como perda.

Não é permitido acumular este saldo para o dia seguinte. Todas as manhãs a sua conta é reinicializada, e todas as noites as sobras do dia se evaporam. Não há volta.

Você precisa gastar vivendo no presente o seu depósito diário. Invista, então no que for melhor, na sua saúde, felicidade, sucesso!

O relógio esta correndo. Faça o melhor para o seu dia-a-dia.

– Para você perceber o valor de "um ano", pergunte a um estudante que repetiu de ano.

– Para você perceber o valor de "um mês", pergunte para uma mãe que teve seu bebê prematuramente.

– Para você perceber o valor de "uma semana", pergunte a um editor de um jornal semanal.

– Para você perceber o valor de "uma hora", pergunte aos amantes que estão esperando para se encontrar.

– Para você perceber o valor de "um minuto", pergunte a uma pessoa que perdeu um trem.

– Para você perceber o valor de "um segundo", pergunte a uma pessoa que conseguiu evitar um acidente.

– Para você perceber o valor de "um milésimo de segundo", pergunte a alguém que venceu a medalha de prata em uma olimpíada.

Valorize cada momento que você tem! E valorize mais porque você deve dividir com alguém especial, especial o suficiente para gastar o seu tempo junto com você.

Lembre-se, o tempo não espera por ninguém!

Ontem é história. O amanhã é um mistério. Hoje é uma dádiva. Por isso é chamado de PRESENTE.

 

[35.] HISTÓRIA nº2

«Os Três Talismas»

 

Que é preciso para aprender? Perguntou um filho ao pai.

Para aprender, para saber e para vencer, respondeu o pai, é preciso buscar os três talismãs: a alavanca, a chave e o facho.

E onde encontrá-los? Interroga o filho.

Dentro de ti mesmo, explica o pai. Os três talismãs estão em teu poder e serás poderoso, se quiseres fazer uso deles.

Não compreendo, diz o filho, cada vez mais intrigado. Que alavanca é essa?

A tua vontade. É preciso querer, é preciso remover obstáculos para aprender.

E a chave?

O teu trabalho. É preciso esforço para dar volta à chave e abrir o palácio do saber.

E o facho?

A tua atenção. É preciso luz, muita luz, para iluminar o palácio. Só assim poderás ver com clareza e descobrir a verdade, que vence a ignorância.

 

[36.] HISTÓRIA nº3

 

«MESTRE RAMESH»

 

Certa vez, perguntei para o Ramesh, um de meus mestres na India:

– Por que existem pessoas que saem facilmente dos problemas mais complicados, enquanto outras sofrem por problemas muito pequenos, morrem afogadas num copo de água?

Ele simplesmente sorriu e contou-me uma história:

Era uma vez um sujeito que viveu amorosamente toda a sua vida. Quando morreu, todo mundo lhe falou para ir ao céu, um homem tão bondoso quanto ele somente poderia ir para o Paraíso. Ir para o céu não era tão importante para aquele homem, mas mesmo assim ele foi até lá.

Naquela época, o céu não havia ainda passado por um programa de qualidade total. A recepção não funcionava muito bem. A moça que o recebeu deu uma olhada rápida nas fichas em cima do balcão e, como não viu o nome dele na lista, orientou-lhe para ir ao Inferno.

E no Inferno, você sabe como é. Ninguém exige crachá nem convite, qualquer um que chega é convidado a entrar. O sujeito entrou lá e foi ficando. Alguns dias depois, Lúcifer chegou furioso às portas do Paraíso para tomar satisfações com São Pedro:

– "Você é um canalha! Nunca imaginei que fosse capaz de uma baixaria como essa. Isso que você está fazendo é puro terrorismo!"

Sem saber o motivo de tanta raiva, São Pedro perguntou, surpreso, do que se tratava. Lúcifer, transtornado, desabafou:

– "Você mandou aquele sujeito para o Inferno e ele está fazendo a maior bagunça lá. Ele chegou escutando as pessoas, olhando-as nos olhos, conversando com elas. Agora, está todo mundo dialogando, se abraçando, se beijando. O inferno está insuportável, parece o Paraíso!" E fez um apelo:

– "Pedro, por favor, pegue aquele sujeito e leve-o de lá!"

 

Quando Ramesh terminou de contar essa história, olhou-me carinhosamente e disse:

– "Viva com tanto amor no coração que se, por engano, você for parar no Inferno o próprio demônio lhe trará de volta ao Paraíso."

Problemas fazem parte da nossa vida, porém não deixe que eles o transformem numa pessoa amargurada. As crises vão estar sempre se sucedendo e às vezes você não terá escolha.

 

 

[37.] [Palavra de A a Z.] – A Liderança & Espiritualidade: Saúde, Paz e Luta!– SAÚDE: mental e espiritual (remédio: humildade, lucidez e bom-humor); PAZ do Evangelho: que possa sempre Incomodar, Interessar e Interpelar; LUTA: Perder batalhas, mas não o sentido da luta; de derrota em derrota, até á Vitória Final.

 

FONTES: (I) BLANCHARD, Ken, HYBELS, Bill, HODGES, Phil,

Liderando com a Bíblia, Editora Campus, Rio de Janeiro, 2001, pp. 205;

(II) MAYER, Canísio, S.J., Viver e Conviver, Paulus, São Paulo, 72002, pp. 165-168;

(III) ALVES, Laurinda in http://www.agencia.ecclesia.pt/pub/14/noticia.asp?jornalid=14&noticiaid=41345, acesso: 18-01-07;

(IV) http://www.cesarromao.com.br/, acesso: 16-06-07.

 

(1ª) IIª Assembléia Paroquial, Mata Roma, 15/17-06-2007. Participação: 120.

(2ª) Retiro da Pastoral da Educação, Chapadinha, 07/07-2007. Participação: 14.

(3ª) Retiro de Catequistas, Chapadinha, 25/08-2007. Participação: 22.

Organizou: pe. pedro josé.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Apontamentos. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s