Incontinências 01

 

Incontinências 01

 

Ando feliz com a vida, cheio de realizações, frustrações e sonhos endiabrados. Talvez, misturando uma palavra de incerteza, seja mais exacto dizer que a vida anda felizmente comigo. Ultimamente, temos sido vistos juntos, noite dentro, tudo compromissos sérios. Numa espécie de anti-paradigma. Que assim seja, quero ser gente pura, anónima sem excelências!

Estou farto de semi-deuses! Quero ser um simples mortal! Vida modo de usar e abusar. Quero gastar-me em competências úteis e inúteis, porque a Vida é uma útil actividade, perfeitamente inútil. Sem dialécticas regressivas ao absurdo! Pois esse absurdo, belo da Vida, deita-se comigo em noites solitárias, quando me imagino suspenso nas galáxias da Verdade. Consagrar-me na Verdade: eis o meu Medo! Eis o meu Desejo!

Razão tinha, porque sabia do que queria viver. F. Nietzsche: “No fundo das nascentes tudo se passa com lentidão”. Não há falta de tempo. A questão é escolher o que fazer com ele, tempo dom e não tempo data. Tornarmo-nos o nosso tempo-mais-que-imperfeito. Partilhava, certeiramente, um(a) amigo(a), que não é fácil escolher entre o «Urgente» e o «Importante», e passamos, tipo passatempo de mau gosto, a fazer isso a todo o momento, sem um horizonte sustentável de qualidade de Vida. A Vida vivida, grávida, gratuita, gasificada, já é em si e para si, graciosa qualidade! Oh doce madrugada! Que náusea lidar com os auto-satisfeitos, por tudo e por nada! Afastem-se! Não impeçam de caminhar, quem está descalço por escolha ou imposição! Não fiquem de lado…

Que me salvem os poetas pensadores, nosso mestre sem alvo, Fernando Pessoa: “Pensar incomoda como andar à chuva”. As crianças adoram brincar à chuva; os loucos perdem-se na chuva; os boémios andam à chuva; os sem tecto apanham chuva; os esquecidos levam com a chuva! Eu não ando à chuva! Quem anda à chuva molha-se!? Oh razão estupidificante!?

Quero uma C.H.U.V.A. = Conhecimento (saber); Habilidade (saber fazer); Utilidade (saber desaprender); Virtude (saber crer); Atitude (querer fazer). Uma CHUVA de Vida! Isso é que é VIDA! Isso não são Vidas Secas! Desculpem o risco de tempestade, estou constipado e não andei à chuva! Quero uma CHUVA! Prometo que vou sair à rua, na próxima enxurrada!

 

 

AUTOR: Pedro José, Chapadinha, 23-05-2007.

Caracteres (espaço incluídos): 2215

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Incontinências. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s